Planejamento adequado de plantio de árvores

Os municípios, em sua grande maioria, não foram planejados em sua arborização. É comum se ver árvores inadequadas plantadas na cidade, como por exemplo mangueiras em canteiros centrais e fícus em calçadas.

A mangueira pode alcançar 30 metros de altura e, contida num canteiro central estreito, há o risco iminente de queda. O fícus, é completamente inadequado para a zona urbana, uma vez que suas raízes são agressivas e podem quebrar calçadas, muros e alcançar a tubulação de água, pois esta raiz procura oferta de água.

Claro, que nem todos que plantam uma árvore de forma errada, o fazem de má fé. Pelo contrário, o cidadão percebe a falta de uma espécie vegetal e planta espontaneamente em qualquer local sem o devido estudo e planejamento.

Para realizar o plantio correto, deve pensar, primeiramente, no local que será plantado. Pode ser uma calçada, praça, canteiro central ou quintal de casa. Há de se observar se há fiação elétrica, pois, havendo, obviamente não se pode plantar uma árvore que ficará alta. Deve-se observar também, se há tubulação de água ou esgoto, pois as raízes podem trazer problemas nesta tubulação.

Para sanar essa problemática, o departamento ambiental vem realizando o manejo de algumas árvores que trazem risco iminente de queda e realizando o plantio de árvores adequadas de acordo com o Manual de Arborização, no qual toda população pode e deve ter acesso. Basta solicitar o documento na Superintendência Municipal de Meio Ambiente.

Isso tudo deve ser levado em consideração para que a ideia de sombra e ar puro não se transforme em problemas futuros. É importante salientar que para todo plantio em áreas públicas, o departamento ambiental deve ser consultado para que haja um trabalho em conjunto com a sociedade e um planejamento adequado.

Lembrando a todos os ouvintes da Lance FM que a Superintendência Municipal de Meio Ambiente realiza a doação de mudas nativas do Cerrado e frutíferas a toda população. São disponibilizadas duas mudas por pessoa como Ipê, Acerola, Oiti, Mutamba entre outras. Basta ir na sede do Parque Municipal Mata da Bica, ao lado da rodoviária.

Preservar não é moda, é sobrevivência!

Por Nátila Arnold, Lance Goiás

natilaarnold@gmail.com

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*