Guarda civil não teve motivo para matar adolescente em Silvânia, diz delegado

O guarda civil metropolitano Willian Silva Pinto não teve motivo para matar um adolescente de 15 anos, em Silvânia, na região central de Goiás, segundo o delegado Leonardo Sanches, responsável pelo caso. O servidor se entregou à polícia e confessou que cometeu o crime para “proteger a arma” dele, sem dar mais detalhes. Câmeras registraram que Fredson Claiton Izidio da Silva foi morto a tiros quando conversava com amigos em frente a um bar (veja acima).

“Sobre a motivação, ele alega que foi para proteger sua arma. Bem confuso. Reafirmando a linha de investigação da polícia de que, de fato, não teve motivação aparente para esse crime bárbaro”, disse o delegado.

 

O advogado de defesa do suspeito, Franklin Pinheiro, disse à TV Anhanguera que “a princípio, o cliente alegou em depoimento que atuou em defesa da arma”. O defensor disse ainda que vai procurar provas e filmagens que possam embasar a informação.

O suspeito prestou depoimento na tarde de terça-feira (24). Conforme a polícia, por segurança, o interrogatório foi feito no presídio de Silvânia e teve duração de 2 horas. Dois dias antes, o guarda se entregou na Delegacias de Homicídios de Goiânia.

Guarda Civil suspeito de matar adolescente se entrega à polícia, em Goiânia — Foto: Reprodução|TV Anhanguera

Guarda Civil suspeito de matar adolescente se entrega à polícia, em Goiânia — Foto: Reprodução|TV Anhanguera

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*