Humberto Aidar no TCM e Ernesto Roller no TCE. Lincoln Tejota está no jogo

Resta convencer Nilo Resende e Sebastião Tejota a se aposentarem em 2021. Lincoln Tejota é cotado para o TCM

Humberto Aidar: “Aposentando-se” da Assembleia e “desaposentando-se” para o Tribunal de Contas dos Municípios de Goiás | Foto: Reprodução

As eleições para prefeito e vereador retiraram da pauta política a disputa pela vaga do conselheiro Nilo Sérgio Resende Neto, do Tribunal de Contas dos Municípios, e pela vaga do conselheiro Sebastião Joaquim Pereira Neto Tejota (mineiro de Montalvânia-MG), do Tribunal de Contas do Estado.

Nilo Resende já pode se aposentar, mas, segundo conselheiros, está relutando. Há quem aposte que, ao deixar o TCM, será candidato a deputado estadual. Entretanto, se tiver planos políticos, frisa um amigo do conselheiro, poderá sair por volta de agosto ou setembro de 2021. “Ele está escutando as pessoas, mas a impressão que se tem é que Nilo não se adaptou muito bem ao tribunal”, sugere um ex-conselheiro. “Nilo é bem agitado e o TCM é muito pacato.”

Ernesto Roller: cotado para o TCE | Foto: Francisco Costa / Jornal Opção

Há quem sustente que a vaga de Nilo Resende está “carimbada” para o deputado estadual Humberto Aidar, do MDB. O emedebista seria o nome preferido da maioria dos deputados da Assembleia Legislativa de Goiás e não é rejeitado pelo governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM). O ex-petista quer mesmo se tornar conselheiro, e não faz questão de esconder. Seu principal articulador é o presidente da Casa, Lissauer Vieira, do PSB. Frise-se que a vaga é do Poder Legislativo.

Lincoln Tejota quer continuar na vice, mas pode acabar no TCM | Foto: Reprodução

No caso da vaga de Sebastião Tejota, há um complicador. Ele abrir pode mão do TCE e Ernesto Roller, o preferido do governador Ronaldo Caiado, o substituiria. Fica a pergunta: por que abrir mão de um cargo poderoso? O conselheiro, aliás, é jovem e não precisa se aposentar agora.

Ernesto Roller é advogado, foi deputado estadual, prefeito de Formosa, secretário de Segurança Pública e é secretário de Governo do Estado. Quer dizer, tem experiência comprovada, portanto cairia como uma luva no tribunal estadual.

Nilo Resende: tendência é que se aposente do TCM em 2021 | Foto: Reprodução

A vaga de Tejota pode ser uma “moeda de troca”, e sem ilegalidade. Confira as hipóteses.

Primeira: Sebastião Tejota deixa o TCE, desde que Lincoln Tejota seja mantido na vice-governadoria para a disputa de 2022. O problema é a pressão da base governista. Encorpado pelas eleições municipais, o Podemos do prefeito de Catalão, Adib Elias, e do deputado federal José Nelto exigem uma vaga na chapa majoritária — com preferência pela vice. O Progressistas, que tem o prefeito de Anápolis, o fortalecido Roberto Naves, também está no jogo e quer uma vaga na chapa majoritária — a vice ou o Senado.

Sebastião Tejota pode disputar mandato de deputado | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Segunda: Ernesto Roller assume a vaga de Sebastião Tejota, e Lincoln Tejota irá para o TCM. Aí, Sebastião Tejota iria a deputado federal em 2022.

O fato é que não há “quadros fechados” a respeito de quem assumirá as duas vagas, e nem mesmo se Nilo Resende e Sebastião Tejota irão se aposentar. Mas há conversações a respeito do assunto. “Humberto Aidar, o Magrão, está convencido de que irá para o TCM em 2021”, postula um deputado estadual da base governista. “Os deputados o apreciam e querem vê-lo no Tribunal”, acrescenta.

Por Jornal Opção

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*