Desde 1988 o governador não consegue eleger um prefeito em Goiânia

Mais uma vez o eleitor goianiense mostrou que é oposição ao governador do Estado, seja ele qual for. Desde 1988, exatos 32 anos atrás, um governador não consegue se eleger um prefeito aliado na capital Goiânia. Desde a redemocratização e a volta das eleições diretas em Goiânia, em 1985, apenas nos dois primeiros pleitos o goianiense elegeu um prefeito apoiado pelo governador: Daniel Antônio (em 1985), apoiado pelo então governador Iris Rezende, e Nion Albernaz (em 1988) apoiado por Henrique Santillo. Ainda assim, ambas as vitórias foram apertadas diante dos adversários Darci Accorsi e Pedro Wilson, respectivamente, com margem inferior a 5 pontos porcentuais.

De 1992 em diante, apenas adversários dos governadores de plantão foram eleitos prefeitos em Goiânia. Em 1992 o PT elegeu Darci Accorsi contra o candidato do governador, que era Sandro Mabel (MDB). Em 1996, o candidato do governador era Luiz Bittencourt (MDB), que perdeu para Nion Albernaz (PSDB). Em 2000, nova vitória do PT, desta vez com Pedro . A candidata do governador Marconi Perillo (PSDB) era Lúcia Vânia (PSDB), que terminou em terceiro lugar.

Em 2004, o governador Marconi foi novamente derrotado, com Iris Rezende (MDB) se elegendo prefeito. Sandes Júnior (PP) nem para o segundo turno foi. Em 2008, repetição do cenário de 2004: Iris reeleito já no primeiro turno e o candidato do governador Alcides Rodrigues (PP) era Sandes Júnior. Em 2012, o candidato do governador Marconi Perillo (PSDB) era Jovair Arantes (PTB), que foi derrotado já no primeiro turno. O vencedor foi Paulo Garcia (PT). Em 2016, o governador Marconi apoiou Vanderlan e Iris venceu a eleição. Agora em 2020 o governador é Caiado e o candidato era novamente Vanderlan, que perdeu para Maguito Vilela, do MDB.

Por Poder Goiás

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*