O Projeto Barroquinha – Por Natila Arnold

Um dos grandes passivos ambientais presente no mundo todo é a erosão laminar. De forma resumida, erosão consiste na desagregação, transporte e deposição de partículas de solo ou rochas, onde com o passar do tempo, formam sulcos no solo, e em casos mais graves voçorocas.

As voçorocas são essas grandes “crateras” que tendem a aumentar com o passar dos anos.

Formosa possui uma área com esse problema. Há mais de 10 anos, o local conhecido como “Barroquinha”, é utilizado como aterro de resíduos de construção civil. A Barroquinha encontra-se no setor norte da cidade, às margens da GO-116, saída para o Itiquira.

Outro fator que contribui no aumento das voçorocas é a falta de vegetação. A vegetação ajuda a proteger o solo e diminuir os processos erosivos.

Uma vez que a presença de cobertura vegetal é de grande importância para o controle do processo de erosão, neste momento a Barroquinha encontra-se em processo de elaboração de um PRAD (Plano de recuperação de áreas degradadas).

Toda a área da Barroquinha está sendo mapeada pelo departamento ambiental do município, e parte dessa área, que já foi aterrada, e hoje encontra-se na forma de um platô consolidado, está sendo preparada para receber esse PRAD.

Como benefícios de otimização desta área, a intenção é que sejam construídos um campo de futebol, uma praça pública, e um CAT (centro de atendimento ao turista). Também, haverá o plantio de diversas espécies vegetais para reflorestar a área e torná-la mais um atrativo turístico, ambiental, esportivo e cultural para o setor Nordeste, bem como para toda cidade de Formosa, haja vista que a área é estratégica para esse fim. Para maiores informações, contate o departamento ambiental do município através do e-mail semma.formosa@gmail.com.

Por Nátila Arnold, Lance Goiás.

natilaarnold@gmail.com

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*