Maguito Vilela testa negativo para coronavírus em UTI de hospital, diz assessoria

O prefeito eleito de Goiânia pelo MDB, Maguito Vilela, testou negativo para o coronavírus na noite desta terça-feira (1º), informou a assessoria de imprensa do político. O teste foi aplicado no hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde o político está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para tratar complicações da doença. O diagnóstico positivo foi dado em Goiânia há 42 dias, sendo que foi internado dois dias depois.

Este não é o primeiro teste realizado durante o tratamento de Maguito, mas a assessoria não detalhou quantos exames foram aplicados no período de internação.

O político está fazendo uso de traqueostomia para ajudar na respiração, ligado a máquina de ventilação mecânica para oxigenar o sangue e submetido a hemodiálise, segundo o boletim médico desta terça-feira.

Maguito apresenta estabilidade hemodinâmica, quando o paciente tem condições de manter a pressão arterial sem uso de remédios. Ele continua recebendo suporte mínimo da ECMO, uma máquina que imita as funções naturais dos pulmões e do coração.

O ex-governador de Goiás venceu a eleição para a Prefeitura de Goiânia no domingo (29). O político foi informado da vitória em um momento de redução nos sedativos. A notícia partiu do filho Daniel Vilela, que assistiu o pai lacrimejar no leito de UTI.

Redução nos sedativos

 

O pneumologista Marcelo Rabahi disse ao G1 que Maguito Vilela passa por um processo de redução dos sedativos quase diariamente. Ele explicou que a estratégia de reacordar e sedar o paciente é utilizada para a equipe médica assistir à reação do internado em UTI.

“A redução [sedação] é feita quase todo dia para ver como ele responde. Depois, sedamos de novo. Normalmente, familiares e médicos conversam com Maguito sobre os assuntos que ele gosta, até para trazê-lo de volta ao ambiente familiar”, explicou Rabahi.

Histórico de internação

 

O político testou positivo para o coronavírus em 20 de outubro. Dois dias depois, foi internado em um hospital de Goiânia.

Em 27 de outubro, ele recebeu diagnóstico de até 75% de inflamação nos pulmões e um alerta para o nível crítico de saturação de oxigênio no sangue. No mesmo dia, foi transferido para São Paulo.

Em 30 de outubro, Maguito foi entubado, pela primeira vez, após piora no quadro respiratório. Em 8 de novembro, ele voltou a respirar sem o equipamento. O político apresentou piora e voltou à ventilação mecânica em 15 de novembro, dia da votação. Dois dias depois, o candidato iniciou o tratamento respiratório com ECMO.

Em agosto deste ano, Maguito perdeu duas irmãs para a Covid-19 em um intervalo de menos de dez dias. Elas tinham 82 e 76 anos e moravam em Jataí, cidade natal do político localizada no sudoeste de Goiás.

Por Rafael Oliveira, G1 GO

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*