Idosa não consegue pagar tarifa e tem energia cortada após conta subir de R$ 60 para R$ 2,1 mil sem justificativa, em Goiânia

Desde que teve a energia cortada, há mais de uma semana, a aposentada Otília Rosa de Castro, de 80 anos, já perdeu tudo que tinha na geladeira, em Goiânia. A idosa relata que depois de a conta subir de R$ 60 para R$ 2 mil, sem justificativa, ela não conseguiu pagar a tarifa, e o fornecimento foi cortado pela Enel, concessionária de energia em Goiás. Durante três meses, ela teve três faturas que somaram mais de R$ 5 mil.

“Não tem nada na geladeira, não tem como ter geladeira sem energia. Até um remédio para a minha perna que o médico passou, eu perdi, porque ele tinha que ficar dentro da geladeira. Banho, só gelado. Está difícil”, disse a idosa.

 

Em nota ao G1, a Enel disse que fez uma verificação no medidor da casa em que Otília mora no mês de março, quando não identificou falhas nos processos de leitura e medição. A empresa disse que, na época, orientou que a aposentada procurasse um eletricista. Entretanto, a Enel disse que vai entrar em contato com a cliente para oferecer o parcelamento dos valores e, assim, poder religar a energia (veja íntegra ao fim do texto).

Otília vive sozinha em uma casa no Residencial Celina Park, na capital, e conta que a fatura da casa dela costuma custar, em média, R$ 60. No entanto, em março, ela se assustou quando recebeu uma fatura de R$ 720,31, após a Enel realizar uma troca do relógio.

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*