Maguito Vilela está em ‘sedação profunda’ em UTI de hospital em São Paulo, diz boletim

O prefeito eleito de Goiânia, Maguito Vilela (MDB), está em “sedação profunda” na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Albert Einstein, em São Paulo, segundo o boletim médico divulgado às 20h desta sexta-feira (11). O quadro dele se agravou após um sangramento nos pulmões.

O pneumologista Marcelo Rabahi, que acompanha Maguito desde a primeira internação dele em Goiânia, disse que o prefeito eleito passou por uma instabilidade na pressão arterial durante o dia, mas que o quadro já está controlado.

“Apresentou instabilidade hemodinâmica com controle no momento. Segue traqueostomizado, porém com necessidade de sedação mais profunda para possibilitar a adequada ventilação”, diz o boletim.

 

Na madrugada desta sexta-feira, Maguito precisou passar por uma cirurgia para controlar o sangramento nos pulmões, identificado na noite anterior.

“Ele teve um hematoma (sangramento pleural) que foi drenado, e isso foi insuficiente para controle do quadro. Então, foi decidido por uma videotoracoscopia. Com isso, foi controlado o sangramento”, afirmou o médico.

Períodos de despertar

 

Horas antes de o sangramento ser descoberto, na quinta-feira, Daniel Vilela, filho de Maguito e presidente do MDB em Goiás, havia dito que o pai, durante uma visita, “demonstrou uma plena consciência em relação à eleição e ao fato de ser o prefeito eleito”. Na ocasião, Daniel também disse que, quando informado sobre o assunto, Maguito “deu um sorriso e fez um gesto afirmativo”.

Em boletim divulgado pelo hospital no dia anterior, quarta-feira (9), constava que Maguito estava traqueostomizado, com ventilação mecânica em modo protetor e diálise contínua, para auxiliar o funcionamento dos rins. Além disso, apresentava “períodos prolongados de despertar”.

Histórico de internação

 

O político testou positivo para o coronavírus em 20 de outubro. Dois dias depois, foi internado em um hospital de Goiânia.

Em 27 de outubro, ele recebeu diagnóstico de até 75% de inflamação nos pulmões e um alerta para o nível crítico de saturação de oxigênio no sangue. No mesmo dia, foi transferido para São Paulo.

Em 30 de outubro, Maguito foi entubado, pela primeira vez, após piora no quadro respiratório. Em 8 de novembro, ele voltou a respirar sem o equipamento. O político apresentou piora e voltou à ventilação mecânica em 15 de novembro, dia da votação. Dois dias depois, o candidato iniciou o tratamento respiratório com ECMO, uma máquina que imita as funções dos pulmões.

Em 3 de dezembro, após testar negativo para Covid-19, Maguito foi transferido para um leito de UTI comum do hospital. Depois de dois dias, a ECMO foi retirada.

Em agosto deste ano, Maguito perdeu duas irmãs para a Covid-19 em um intervalo de menos de 10 dias. Elas tinham 82 e 76 anos e moravam em Jataí, cidade natal do político, localizada no sudoeste de Goiás.

Fonte: G1

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*