Casal é enganado com falso teste de Covid-19 e acaba sequestrado

Um caminhoneiro de 43 anos e a esposa, de 35, foram mantidos em cativeiro por quatro dias em São Vicente (SP). O homem contou que o casal mora na Bahia e estava na cidade para buscar uma carga que seria entregue em Recife.

“Um indivíduo chegou ao local marcado e falou que teríamos que ir com ele fazer um teste de Covid-19. Quando chegamos à suposta clínica, era o cativeiro e ele anunciou o sequestro”, explicou. As informações são do G1.

O caminhoneiro conta que ele e a esposa foram mantidos em cativeiro de quinta-feira (10/12) a domingo (13/12), quando foram liberados em Cubatão (SP). Ele contou que marcou de encontrar com um cliente por aplicativo e a retirada da carga seria retirada em São Vicente. Ao chegar ao local, um dos bandidos informou que o transporte não poderia ser feito sem que houvesse uma testagem de Covid-19 antes.

“Quando chegamos ao cativeiro, ele falou que aquilo era um sequestro. Explicou que usariam meu caminhão para transportar drogas e que assim que tudo fosse finalizado, eu teria o meu caminhão de volta”, disse.

Ainda segundo o caminhoneiro, ele e a esposa eram obrigados a manter contato com a família com frequência para que a ausência deles não fosse percebida. “Eles davam o telefone para a gente falar com os parentes e faziam ameaças. Falavam que nós tínhamos que passar tranquilidade e avisar que estava tudo saindo conforme o esperado”.

Ele contou que os dois ficaram presos em um quarto pequeno com um colchão improvisado e que eram alimentados apenas com pão e água.

“É uma sensação de morte. Pensava nos nossos três filhos e que eles poderiam fazer qualquer coisa a qualquer momento comigo ou com a minha esposa”, afirmou.

De acordo com a polícia, equipes receberam a informação de que um indivíduo estava tentando levar um caminhão em uma rua da cidade. Os policiais, então, tentaram levantar mais informações sobre o veículo e acabaram descobrindo que o proprietário estava em cárcere privado.

Um dos criminosos pego pela polícia deu detalhes da operação feita pela quadrilha, inclusive sobre o sequestro e os integrantes. A PM diz que, ao saberem da prisão desse comparsa, resolveram libertar o casal.

Assim que foi liberado, o casal procurou a polícia em Cubatão para registrar o sequestro. “Eles levaram meu celular e meus cartões. Que isso sirva de alerta aos meus colegas de trabalho e a todos. Foi muito difícil”.

A Polícia Civil vai investigar o caso como sequestro, cárcere privado e roubo de carga.

 

 

Fonte: Metrópoles

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*