João de Deus é denunciado por crimes sexuais cometidos contra mais sete mulheres, em Abadiânia

O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) denunciou João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus, por crimes sexuais contra sete mulheres – outros 11 depoimentos também constam no documento, mas os casos prescreveram. Segundo o órgão, o processo é a 13º denúncia contra o investigado, que cumpre prisão domiciliar em Anápolis, a 55 km de Goiânia, e já foi condenado a mais de 60 anos de prisão.

O advogado Anderson Van Gualberto, que representa o réu, informou, por meio de nota, que a defesa “sustenta a sua inocência e no curso do processo a comprovará” (leia a íntegra ao fim da reportagem).

A denúncia foi feita na terça-feira (15), dois anos após a prisão de João de Deus, que tem atualmente 79 anos. Segundo o MP, o réu foi denunciado pela prática de estupro de vulnerável e violação sexual mediante fraude. O documento traz relatos, testemunhos, documentos e fotografias relativos a crimes que ocorreram entre 1999 e 2018.

Ainda de acordo com o MP, as 18 vítimas que relatam abusos nesta denúncia são dos estados de Goiás, Santa Catarina, Pará, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Distrito Federal e Bahia.

Prisão

 

Condenado por abusar sexualmente de mulheres durante atendimentos espirituais, João de Deus ficou preso entre dezembro de 2018 e março de 2020 no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. Porém, deixou o presídio em março deste ano para cumprir a pena em regime domiciliar pelo alto risco de contágio da Covid-19 no presídio.

Fonte: G1 Goiás
print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*