Médico que defendia cloroquina e criticava OMS morre de covid-19

Bolsonarista, Lécio Patrocínio morreu no último sábado (2/1) no Rio de Janeiro depois de passar quase quatro meses internado para tratar complicações de uma pneumonia

O médico Lécio Patrocínio, de 68 anos, morreu vítima de COVID-19 no último sábado (2/1). Bolsonarista, Lécio defendia o uso da cloroquina e criticava a OMS (Organização Mundial da Saúde).

Lécio desenvolveu complicações sucedidas de uma pneumonia. Ele chegou a ficar um mês internado em Macaé e há cerca de três semanas havia sido transferido para o Hospital Copa D’Or, no Rio de Janeiro, onde morreu.

Além de médico, Lécio era professor do curso de Medicina no campus Macaé. Em nota, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) lamentou a morte.

“A Reitoria da UFRJ lamenta a morte do professor e presta sinceras condolências à família, aos amigos e à comunidade acadêmica macaense. Transmitimos força neste momento de pesar, nos primeiros dias de 2021”.

O prefeito da cidade, Welberth Rezende (Cidadania), também lamentou a morte nas redes sociais: “Um grande médico e ser humano que há décadas presta serviços relevantes à saúde de Macaé”, destacou.

Por Correio Brasiliense

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*