UTRS Formosa

Em tempos de pandemia, onde as pessoas estão passando mais tempo em casa e gerando mais resíduos, pensar no fomento a reciclagem é algo não só ecologicamente correto, mas uma forma de geração de renda.

Formosa já possuiu um sistema de cooperativa que não é lembrado com bons olhos pelos antigos cooperados. Porém, com a necessidade de diminuir os resíduos domésticos, o aterro sanitário de Formosa, também conhecido como lixão, recebeu este ano uma obra em parceria publico privada que irá ser um divisor de águas no sentido da reciclagem.

O aterro sanitário é uma área aberta, onde diversas pessoas vão todos os dias em busca de algum material para vender e ter algum sustento. As condições de trabalho não existem, já houve situações de encontrarmos até crianças no local. Um absurdo em se tratando de saúde e dignidade de vida.

Para sanar esse problema, na área do aterro está em fase final de construção um barracão de triagem de materiais para reciclagem. A estrutura da UTRS-Formosa (unidade de tratamento de resíduos sólidos) já está finalizada. Essa semana chegarão os primeiros maquinários, entre eles 4 prensas e 1 esteira rotativa.

Os catadores que antes ficavam, diretamente em contato com os resíduos sem proteção nenhuma, agora poderão participar deste projeto com carteira assinada, ter a segurança de trabalhar com EPI’s e ter uma melhor perspectiva de trabalho.E o aterro, já está sendo adequado de acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Para maiores informações, procure o departamento ambiental.

Por Nátila Arnold, Lance Goiás

natilaarnold@gmail.com

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*