Conheça a história de Maguito Vilela

Maguito Vilela começou a carreira política como vereador e chegou a governador e senador por Goiás

Prefeito licenciado estava internado tratando complicações da Covid-19. Fora da política, ele também foi professor, advogado e presidente da Associação Esportiva Jataiense.

Um dos principais nomes do MDB em Goiás, Maguito Vilela, que morreu aos 71 anos, passou por vários cargos na vida política: vereador, prefeito, governador e senador. Ele ainda foi professor e advogado.

Batizado como Luiz Alberto Maguito Vilela, ele nasceu em Jataí, no sudoeste do estado, em 24 de janeiro de 1949. É filho de Joaquim Vilela e Nazime Moraes Vilela. Tem quatro filhos: Vanessa, Daniel, Maria Beatriz e Miguel; e uma enteada: Anna Liz.

Começou a carreira política em sua cidade natal, onde se elegeu vereador pelo extinto partido político Arena, e exerceu mandato entre 1977 e 1983. Também foi presidente da Câmara Municipal da cidade, segundo as informações oficiais do Senado Federal e do Governo de Goiás, onde estão descritas a biografia política de Vilela.

Durante a vida política, Vilela sempre foi filiado ao MDB, no qual ocupou os cargos de vice-presidente nacional de 2000 a 2001 e assumiu a presidência entre maio e setembro de 2001.

Em seguida, foi eleito para o cargo de deputado estadual. Atuou na 10ª legislatura, entre 1983 e 1987. Na época, foi líder do governo na Assembleia Legislativa de Goiás.

A carreira política cresceu. Ao encerrar o mandato na Assembleia, conquistou uma vaga na Câmara dos Deputados, onde cumpriu um mandato entre 1987 e 1991, sendo um dos chamados “deputados constituintes”, que trabalharam na elaboração e aprovação da Constituição Federal de 1988.

Em 1991, foi eleito vice-governador de Goiás na chapada encabeçada por Íris Rezende. No final do mandato, em 1995, venceu a eleição para governador do estado.

Ele se afastou da governadoria em abril de 1998 para se candidatar ao Senado Federal. Foi eleito e exerceu o mandato de senador até 2007.

Maguito Vilela se candidatou a governador em 2001 e 2006, não se elegendo em nenhuma das tentativas.

Em 2008, ganhou a eleição para prefeito de Aparecida de Goiânia e foi reeleito para o cargo em 2012.

Delação da Odebrecht

 

Maguito Vilela foi citado na delação premiada da construtora brasileira Odebrecht, em 2017, no auge das investigações da operação Lava-Jato conduzida pelo Ministério Público Federal. A investigação foi arquivada em 2018 pelo Supremo Tribunal Federal.

Na época, o ex-governador era investigado pelo suposto recebimento de vantagens indevidas da Odebrecht para uso em campanhas eleitorais. A delação dos ex-executivos Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis e Alexandre José Lopes Barradas se referem a 2012, quando Maguito concorria à Prefeitura de Aparecida de Goiânia.

Os delatores ressaltam que Maguito Vilela teria recebido R$ 500 mil, que não foram declarados na prestação de contas oficial enviada à Justiça Eleitoral.

O objetivo da empreiteira era que, em caso de vitória, o político favorecesse o grupo em contratos de saneamento básico, que foram firmados posteriormente, conforme o documento.

Fora da política

 

Maguito Vilela foi presidente da Associação Esportiva Jataiense entre 1976 e 1977, além de professor da rede estadual de ensino, nos anos 1972 a 1977.

Fonte: G1 GOIÁS

Foto: Tv Anhanguera

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*