Governo de São Paulo investirá R$ 1,5 bi em tecnologia na volta às aulas

Retomada das aulas presenciais está prevista para o dia 1º de fevereiro em todo o estado

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou o investimento de R$ 1,5 bilhão em tecnologia na volta às aulas do estado, previstas para 1º de fevereiro.

Por meio do programa Conecta Educação, o estado entregará computadores, notebooks, estabilizadores, televisões e outros itens a todas as 5,1 mil escolas do estado.

Além disso, chips de telefone com internet serão entregues para alunos e professores. O anúncio do programa foi feito em coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (13/1).

“O país precisa fazer um mergulho profundo no apoio à educação para formarmos uma geração poderosa de jovens capacitados a enfrentar desafios de uma nova economia, geração e ocupação de espaços na empregabilidade e estímulo à atividade empreendedora”, afirmou o governador.

João Doria disse que mantém diálogo constante com os prefeitos para assegurar a preparação para a volta às aulas. Na manhã desta quinta, foi realizada uma reunião on-line com 645 chefes de municípios para tratar do retorno às salas de aula.

Tecnologia

Segundo o secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, 269 mil notebooks, 27 mil desktops e 61 mil kits do Centro de Mídias (com televisão, suporte e estabilizador) serão entregues às unidades de ensino no início do ano letivo.

Além disso, o governo entregará 5,2 mil carrinhos tecnológicos, 65 mil roteadores e 3,5 mil tablets educacionais para escolas que atendem pessoas com deficiência. Soares disse que o programa vai atender os estudantes mesmo após a pandemia, buscando reduzir os impactos que a crise gerou na educação.

“Estamos há mais de 10 meses sem as aulas, com prejuízos que são incontáveis e já são perceptíveis”, disse o secretário.

Além dos materiais citados, também serão distribuídos 750 mil chips de telefone celular para estudantes (com 3 gigas de internet), professores e servidores (com 5 gigas de internet) da rede estadual.

Fonte:Metrópoles

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*