Maguito Vilela era apegado à família e se emocionou ao ver os netos após o Natal: ‘Importante para ele’

Durante os 83 dias de internação, prefeito licenciado de Goiânia teve momentos de lucidez quando teve a sedação reduzida. Em um desses dias, ele ficou ‘muito feliz’ ao receber a visita de dois netos, disse o filho.

O ex-governador de Goiás e prefeito licenciado de Goiânia, Maguito Vilela (MDB), que faleceu na quarta-feira (13), era muito apegado à família, segundo os próprios familiares. Aos 71 anos, o político tinha quatro filhos, e quatro netos. Durante os 83 dias de internação, Maguito teve alguns momentos de lucidez quando teve a sedação reduzida. Em um desses dias, ele ficou “muito feliz” ao receber a visita de dois netos.

A informação da visita dos netos foi relatada ao G1 pelo filho Daniel Vilela, na noite do dia 26 de dezembro. Segundo Daniel, a visita aconteceu um dia depois do Natal e foi a primeira vez que Maguito viu os netos desde que foi internado.

“Ele ficou muito feliz e sorriu ao ver meus filhos. Os meninos entraram lá e ficaram um pouco com ele no dia do Natal. É importante para ele ver a família”, disse Daniel Vilela, no dia 26, ao G1.

Maguito Vilela era apegado à família e aos netos, segundo familiares  — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Durante as visitas, Daniel disse que conversava com o pai sobre a família e sobre os negócios da fazenda. O filho contou ainda que o assunto “política” era pouco debatido durante as conversas, mas que o político demonstrava interesse no tema quando o filho comentava algo sobre a transição na Prefeitura de Goiânia. Maguito foi eleito prefeito em 15 de novembro.

Segundos os parentes que o conheciam bem, Maguito era bastante reservado sobre a intimidade familiar. Em entrevista à TV Anhanguera, o próprio político contou que era um avô dedicado.

“Parece que os netos são melhores que os filhos, né. São mais apegados, você tem mais tempo de curti-los. Eu tenho um apego muito especial pelos meus netos, então, eu quero dizer que sou um homem realizado também com relação a minha família”, disse Maguito durante entrevista.

 

Maguito Vilela junto com a família  — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Nascido em Jataí, no sudoeste de Goiás, Maguito se mudou da terra natal para seguir na carreira de política. No entanto, familiares contam que ele sempre voltava à cidade para rever os parentes.

A dona Dejanira Alves Martins Ruscitt, tia de Maguito, guarda com carinho as lembranças do homem “carinhoso e alegre”, como ela descreve.

“Pra mim, ele era o mesmo que um filho, criado junto com as minhas filhas. Uma pessoa muito caridosa, muito amiga, simples, sempre vinha aqui almoçava com a gente, estava sempre junto, era muito atencioso com idosos e crianças”, disse a tia.

Dejanira Alves Martins Ruscitt, tia de Maguito, e o marido, em Jataí, Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

A irmã Leila Maria Vilela Dias disse que o político gostava muito de se reunir com a família.

“Ele era uma pessoa que reunia a família. Ele chegava em Jataí e convidava os irmãos: ‘vem para cá, vem almoçar comigo, vem jogar’. Ele gostava muito de jogar uma canastra, uma caixeta, então, a gente tá sentindo muito triste. Era uma pessoa maravilhosa”, disse a irmã.

Para o sobrinho de Maguito e ex-deputado federal, Leandro Vilela, além de perder “um dos maiores líderes políticos do estado”, a família também perde um “ser humano maravilhoso”.

“É muito triste, porque além de perder um dos maiores líderes políticos deste estado, nós perdemos um ser humano maravilhoso. Um homem que sempre faltou a sua vida por servir o próximo. Como pai, como tio, como filho, como líder de família. Sempre presente na vida de todos, de forma que é muito doloroso. Nós precisamos respeitar a vontade de Deus”, disse Leandro Vilela, sobrinho de Maguito e ex-deputado federal.

Maguito Vilela em Goiânia, Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Em uma entrevista para um documentário produzido pela jornalista Ana Paula Moreira, da TV Anhanguera, Maguito disse que não se arrependia de nada que fez na vida e que era um homem “extremamente feliz”.

“Eu acho que todo ser humano veio ao mundo buscar a felicidade e eu a encontrei. É lógico que a vida nos reserva momentos de tristeza, mas sou um homem extremamente feliz”, disse Maguito em entrevista à jornalista.

 

Morte, velório e enterro

 

Maguito faleceu aos 71 anos, após ficar 83 dias internado lutando contra complicações causadas pela Covid-19, a qual já tinha se recuperado. Nos últimos dias, o político enfrentava uma nova infecção pulmonar grave, em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Maguito deve ser sepultado em Jataí, “sua terra natal”, junto com a bebê que perdeu. O enterro está previsto para acontecer por volta de 9h de quinta-feira (14) no Cemitério São Miguel.

A previsão inicial era de que o voo que trouxe o corpo de Maguito chegasse em Goiânia às 15h30, mas o avião precisou parar para abastecer em Uberaba, Minas Gerais, o que acabou gerando um atraso. Após chegar à capital, o corpo foi levado em cortejo em carro do Corpo de Bombeiros, onde passou por ruas de Goiânia e Aparecida de Goiânia.

Após o cortejo, o velório começou às 20h45, no Palácio das Esmeraldas, e teve drive-thru. Foi realizada uma missa pelo padre Rodrigo de Castro Ferreira, da Sagrada Família. Na ocasião, o filho e também político, Daniel Vilela, se despediu do pai bastante emocionado (veja abaixo).

Daniel Vilela se despede do pai, Maguito Vilela, no Palácio das Esmeraldas, em Goiânia — Foto: Gabriel Garcia/TV Anhanguera

Maguito perdeu duas irmãs para a Covid-19 em intervalo de menos de dez dias em agosto de 2020. No dia 19, morreu Nelma Vilela Veloso, de 76 anos, que tinha diabetes e problemas pulmonares, comorbidades que agravaram o quadro. Já no dia 28, a irmã mais velha, Nelita Vilela, de 82 anos, também faleceu.

O político passou por vários cargos públicos em Goiás: vereador, prefeito, governador e senador. Foi eleito gestor da capital com 52% dos votos no 2º turno das Eleições 2020, tomou posse de forma virtual e se licenciou do cargo.

Com a morte de Maguito, Rogério Cruz (Republicanos) vai assumir a administração de Goiânia.

Fonte:G1 Goiás

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*