Técnico em enfermagem denuncia que foi vítima de injúria racial ao pedir que caminhoneiro usasse máscara: ‘Urubu’

Um técnico em enfermagem denuncia que foi vítima de injúria racial após pedir que um caminhoneiro usasse máscara, em Rio Verde, no sudoeste de Goiás. Ele disse que o motorista se recusou a usar o item de proteção contra a Covid-19 e fez várias ofensas. O caso foi registrado na Polícia Civil.

“Eu estava apenas pedindo ao senhor que usasse a máscara corretamente, é a norma da empresa. Ele continuou com palavras mais agressivas e chegou ao ponto que ele me chamou de urubu”, disse Valdivino Santos Silva.

G1 não conseguiu localizar o caminhoneiro apontado como autor das ofensas até a última atualização dessa reportagem.

O técnico em enfermagem diz que estava trabalhando na entrada de uma empresa do ramo de agronegócio na sexta-feira (19), quando o caminhoneiro chegou sem a máscara. “Eu estava apenas pedindo ao senhor que usasse a máscara corretamente, é a norma da empresa”, disse. O homem, então, teria se recusado e começado com xingamentos e ofensas raciais.

“Eu falei que ia processar, porque não podia fazer isso comigo e ele continuou o xingamento contra minha pessoa. Vamos aguardar a Justiça, que isso não fique impune”, completou.

Após as ofensas, a empresa Cargill ofereceu assistência ao funcionário, o levando até a delegacia para registrar o caso. “Além disso, bloqueamos o cadastro do motorista citado por sua conduta inadequada, e o mesmo está impedido de entrar em nossas dependências”, diz a nota da empresa.

Fonte: G1 Goiás

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*