Covid-19: Restrições na região da 44 foram acertadas com associação de lojistas

Presidente de honra da 44, Jairo Gomes destaca que lojistas reconhecem momento delicado.

As restrições impostas aos lojistas da região da 44 foram previamente acertadas com a associação que representa a categoria em reunião com a Prefeitura de Goiânia. De acordo com o decreto publicado nesta segunda-feira (22/02) entre uma série de medidas, a região deverá funcionar apenas de quarta-feira à sábado, entre as 08h e às 15h, fechando nos outros dias, além da distribuição de máscaras até a contratação de um médico infectologista para acompanhar as ações de prevenção da região.

Em entrevista ao Diário de Goiás, o presidente de honra da Associação de Lojistas da 44, Jairo Gomes destacou que houve uma reunião com o prefeito Rogério Cruz (Republicanos) e parte de seu secretariado em que puderam conciliar algumas medidas entre o que a Prefeitura pretendia e o que os empreendedores poderiam cumprir. “Nós entendemos que o momento é muito delicado. Os leitos estão sendo ocupados com muita rapidez, o vírus tem propagado e isso fez com que nós pudéssemos atender a um convite do atual prefeito Rogério Cruz e ver com ele a possibilidade de uma mudança no horário de funcionamento da região”, explicou.

Jairo pontuou que inicialmente o desejo da prefeitura, além da restrição dos horários era proibir caravanas de outras cidades, algo que foi justificado como inviável pela associação. “Proibir as caravanas e decretar lockdown na 44 é a mesma coisa”, ponderou Gomes, além de explicar que não era uma atitude efetiva. “Nós fizemos em especial o secretário de Saúde entender, que se cortassem todas as vindas de todas as caravanas como foi feito na primeira onda e não deu resultados até porque as pessoas não vinham em excursões oficiais, acabavam vindo em carro próprio ou ônibus de linha e tumultuavam toda a região fechada com aglomeração de camelôs na rua. Eles entenderam e nós mantivemos as excursões dentro de um protocolo”, ponderou.

Em contrapartida a Associação de Lojistas da 44 fará em conjunto com a Secretaria de Saúde do Município testagens periódicas na região. “Estamos alinhando isso, mas foi algo que o Prefeito e o secretário solicitaram e a gente entendeu que seria muito bom para todo mundo”, destacou.

Jairo explicou que entre domingo e terça-feira, o foco da região era vender no varejo. O texto prevê fechamento destes dias e abertura apenas entre a quarta-feira até o sábado, onde os lojistas focam as vendas no atacado. “São os dias que mais movimentam em relação ao turismo de negócios no atacado. No atacado tem menos pessoas comprando e mais movimento de vendas. Os outros sempre foram dedicados ao varejo e ele vai deixar de existir até durar o decreto. É a maneira que nós empresários da 44 entendemos e compartilhamos com o prefeito e o secretariado. Foi bem entendido.”

O texto prevê ainda uma série de contrapartidas para que a 44 possa continuar operando. As lojas deverão realizar o atendimento para até 50% da capacidade. A associação deverá lavar e desinfectar ruas, calçadas e empreendimentos de forma regular. Também deverão pintar todos os meio-fios.

Os lojistas devem distribuir novas máscaras reutilizáveis para todos os funcionários. A contratação de um médico infectologista enquanto o decreto estiver em vigência. “Para acompanhar a efetividade das medidas tomadas e orientar quanto a ações adicionais”, descreveu.

 

 

 

 

Fonte: Diário de Goiás 

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*