Goiânia proíbe eventos, reduz horário de bares e restaurantes e restringe funcionamento da 44

O novo decreto da prefeitura de Goiânia com medidas para conter o avanço da Covid-19 foi publicado nesta segunda-feira (22/02), proíbe a realização de eventos como casamentos, festas e desfiles, e restringe o funcionamento de várias outras atividades econômicas, como a imposição de novas restrições a bares e restaurantes.

Antes os estabelecimentos podiam funcionar até as 23h, agora os bares e restaurantes deverão fechar uma hora antes, às 22h. Eles também estão proibidos de tocar qualquer tipo de som, seja mecânico ou ao vivo. Eles estão limitados a receberem a metade da capacidade máxima que antes recebiam.

Os shoppings também podem abrir até 22h, com metade da lotação. No caso de barbearias, salões de beleza, templos religiosos, academias e escolas, a limitação é de 30% da capacidade. No caso dos cultos e reuniões em igrejas, elas podem realizar quantos forem necessários ao longo do dia, desde que cumpram com o limite de pessoas.

Outra restrição é para o funcionamento da Região da 44, que agora deixa de funcionar às segundas e terças-feiras, quando recebiam compradores varejistas. As lojas vão atender em horário reduzido entre quarta-feira a sábado, das 7h às 15h, apenas aqueles que vêm de outras cidades ou que queiram comprar no atacado.

Algumas medidas também abraçam condomínios verticais ou horizontais. O texto proíbe qualquer evento social em áreas comuns destes locais. Cinemas, teatros, casas de espetáculo e semelhantes também não poderão funcionar nos próximos dias.

O secretário de Governo, Andrey Azeredo ainda explicou que apesar da abertura de leitos de UTI em Goiânia, as internações continuam em ascensão. “Isso tem um limite”, destacou. “Não é porque tem leitos que as pessoas vão se salvar. Queremos evitar o falecimento. Isso se dá com engajamento e conscientização de todos”, completou.

Metade dos servidores da prefeitura trabalharão em home office, enquanto a outra metade fará atividades presencialmente. Haverá uma alternância das equipes num ciclo de 14 dias. Azeredo afirmou que, caso não haja conscientização, medidas mais restritivas podem ser tomadas para frear o contágio pelo coronavírus.

 

Estudo

 

Segundo o secretário de Saúde, Durval Pedroso, um estudo da prefeitura definiu locais de maior risco de exposição e transmissão da covid-19. “São locais que favorecem o acúmulo e a movimentação de pessoas numa maior intensidade”, disse ele, citando a 44, cultos religiosos, bares, restaurantes e praças.

 

 

 

Fonte: Diário de Goiás

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*