Flávio Bolsonaro compra mansão de R$ 5,97 milhões em Brasília

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) comprou uma casa avaliada em quase R$ 6 milhões no Setor de Mansões Dom Bosco, no Lago Sul, bairro nobre de Brasília. A informação é do site O Antagonista.

Nos últimos meses, Flávio e a mulher, Fernanda Antunes Figueira, visitaram outras casas de luxo, algumas às margens do Lago Paranoá e anunciadas por até R$ 10 milhões. Mas a compra acabou sendo fechada com o proprietário do imóvel de R$ 5,97 milhões.

O negócio imobiliário do filho do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), foi lavrado com escritura de compra em um serviço notarial de Brazlândia, cidade a cerca de 45 km do Plano Piloto.

A mansão que será o novo lar de Flávio Bolsonaro tem 1,1 mil m² de área construída, num terreno de 2,5 mil m². A imobiliária, que tinha exclusividade na venda, gravou até um vídeo feito com drone e informou no site os detalhes da propriedade.

Dois pavimentos, com “preparação para elevador”, piso em “mármore carrara” nos banheiros e “crema marfil” nas salas e suítes, além de “esquadrias em alumínio anodizado com persianas automatizadas”.

Flávio Bolsonaro e a esposa decidiram fazer uma reforma antes da mudança.

Em 360 meses

Parte do total pago na mansão foi financiado no Banco de Brasília (BRB). Na matrícula, obtida pelo O Antagonista, consta o parcelamento de R$ 3,1 milhões via BRB, em 360 meses. A mansão pertencia à RVA Construções e Incorporações, do advogado e empresário Juscelino Sarkis.

Veja trecho do documento com o registro da compra:

Rachadinha

Na campanha de 2018, Flávio declarou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) patrimônio de R$ 1,7 milhão. Como senador, passou a ganhar R$ 25 mil líquidos por mês e a usar apartamento funcional cedido pelo Senado. Sua esposa, Fernanda, é dentista e abriu consultório em Brasília depois que o marido foi eleito.

Na semana passada, o parlamentar conseguiu anular no Superior Tribunal de Justiça (STJ) as quebras de sigilo bancário e fiscal relacionadas ao inquérito das “rachadinhas”, que apura suposto esquema ilícito no gabinete dele, na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), quando era deputado.

Metrópoles procurou os advogados de Flávio Bolsonaro, mas não obteve retorno até o momento. O espaço permanece aberto.

 

Fonte: Metrópoles

print