MFW: confira os destaques da temporada de outono/inverno 2021/2022

Ciao! Mais um Milão Fashion Week chega ao fim, apresentado diretamente de uma das principais capitais da moda. Em formato majoritariamente on-line, as coleções para a temporada de outono/inverno 2021/22 foram exibidas entre os dias 24 de fevereiro e 1º de março. No meio das novidades para a temporada está a estreia de Kim Jones, com a sua primeira coleção de ready-to-wear para a Fendi. Além dele, também tiveram destaque as apresentações das marcas Prada, Moschino, Emporio Armani e Giorgio Armani, Salvatore Ferragamo e Emilio Pucci, que agitaram o público fashionista.

Prada

Um dos desfiles mais esperados do lineup foi a apresentação da Prada, que agora conta com duas mentes brilhantes: Raf Simons e Miuccia Prada, que dividem a cadeira criativa da grife. A cartela de cores composta por tons fortes ganhou destaque no cenário texturizado construído na Fondazione Prada, em Milão.

A coleção foi uma vitrine para a forma como a pandemia está mudando de moda, na qual a praticidade é uma aposta para o novo conceito de elegância. Entre as peças apresentadas, casacos são usados como peça-chave nos looks. Nylon re-edition, peles falsas, lantejoulas e macacões apareceram na maioria das produções.

Prada/DivulgaçãoDesfile Prada
O desfile marca a segunda coleção de Miuccia Prada e Raf Simons

 

Prada/DivulgaçãoDesfile Prada
Em entrevista coletiva, os cocriadores contaram que a marca está se abrindo para novas possibilidades

 

Prada/DivulgaçãoDesfile Prada
“A coleção explora o espaço que existe entre polos convencionalmente opostos, entre a simplicidade e complexidade, elegância e praticidade, limitação e liberação”, pontuou Miuccia

 

Prada/DivulgaçãoDesfile Prada
Casacos são usados como peça-chave nos looks de outono/inverno

 

Prada/DivulgaçãoDesfile Prada
Paetês, pelos fake e nylon compõem a cartela de materiais

A cada temporada, a Prada costuma apresentar mudanças. Entre as pontuações para a nova edição, o triângulo invertido da grife ganha versão bordada e a logo é aplicada em destaque nas peças. Outro ponto alto do show foi a dualidade entre o feminino e masculino.

Em entrevista após o desfile, os estilistas explicaram que a coleção está enraizada nas ideias de mudança e transformação. “Uma fusão entre temas e intenções díspares reflete a natureza de humanidade: uma crença no fato de que cada homem e mulher carrega o masculino e o feminino dentro de si”.

Moschino

Após criar um teatro de marionetes na apresentação de veraneio da grife no MFW, o estilista vanguardista Jeremy Scott continua escolhendo expressões artísticas para seus desfiles. Dessa vez, o show leva os telespectadores à assistirem um espetáculo, que está sendo apresentado para grandes artistas, como Precious Lee, Dita Von Teese e Winnie Harlow.

casting de modelos também foi completado por outras celebridades, como Hailey Bieber, Miranda Kerr e Shalom Harlow. “Eu queria fazer coisas no cinema que você não pode fazer ao vivo”, contou o estilista em comunicado.

Moschino/DivulgaçãoDesfile Moshino
Hailey Bieber aparece nos primeiros momentos do desfile

 

Moschino/DivulgaçãoDesfile Moshino
Outro nome icônico, Amber Valletta risca as passarelas

 

Moschino/DivulgaçãoDesfile Moshino
A modelo Kristina Grikaite completa o casting

 

Moschino/DivulgaçãoDesfile Moshino
Ícone de estilo, Dita Von Teese protagoniza o desfile, vestindo um look de festa

 

Moschino/DivulgaçãoDesfile Moshino
A modelo Winnie Harlow também está entre as “convidadas” do teatro da Moschino

O show virtual narra a vida de uma mulher com vários compromissos na agenda, entre encontros de negócios, viagens e bailes de gala. “O que precisamos agora mais do que nunca é fantasia e glamour e coisas que fazem você se sentir maravilhoso, e eu não acho que calças de moletom façam isso”, pontuou a etiqueta.

Emporio Armani

O iluminado promovido pelos neons da grife já direcionavam o que iria ser apresentado nas passarelas. A logomarca da Emporio em tons vibrantes mostra a união do clássico com o moderno. Os códigos da grife são apresentados pela alfaiataria desconstruída e peças tradicionais confeccionadas em tecidos nobres, como o veludo e paetês.

“Acho que é o momento certo para criar uma linguagem radicalmente nova, para redescobrir o prazer da invenção. Esse é o caminho ”, comunicou a grife.

Emporio Armani/DivulgaçãoDesfile Emporio Armani
A coleção foi apresentada de forma mista, com peças masculinas e femininas na mesma passarela

 

Emporio Armani/DivulgaçãoDesfile Emporio Armani
Volumes complementam os looks

 

Emporio Armani/DivulgaçãoDesfile Emporio Armani
Calças de alfaiataria ganham cós alto

 

Emporio Armani/DivulgaçãoDesfile Emporio Armani
Peças confortáveis também entram em cena

 

Emporio Armani/DivulgaçãoDesfile Emporio Armani
Veludo neon domina as peças

Em coleção mista, a Emporio Armani apresentou novos códigos para a casa. A alfaiataria ganhou silhuetas diversas, como calças de cós alto e abotoamento espaçado nos blazers. Peças femininas e masculinas são apresentadas no mesmo ambiente e podem migrar para ambos os corpos.

Max Mara

Estilo britânico com influência italiana. Assim pode ser definida a coleção mais recente da Max Mara. O aniversário de 70 anos da grife de luxo ganha destaque nas peças, como o ano de fundação, 1951, estampado nas costas dos casacos e no centro dos suéteres.

Autenticidade e excentricidade permeiam o DNA da label e não passam despercebidos no desfile. Casacos, coletes, jaquetas de motoqueiro, trench coats e bombers acolchoadas foram itens recorrentes.

Max Mara/DivulgaçãoDesfile Max Mara
A cartela de cor é composta pelo caramelo, tom clássico da Max Mara

 

Max Mara/DivulgaçãoDesfile Max Mara
Suéter acolchoado entrega a proposta de um glamour relaxado, mas com acabamento preciso

 

Max Mara/DivulgaçãoDesfile Max Mara
As apostas da marca sugerem harmonia entre volume e proporção

 

Max Mara/DivulgaçãoDesfile Max Mara
Trench coats não poderiam ficar de fora

 

Max Mara/DivulgaçãoDesfile Max Mara
A data de fundação da etiqueta, 1951, é estampada nas peças da coleção

O glamour relaxado é construído pelos ternos sob medida da grife. Homenageando a história da marca, peças do acervo foram ressignificadas para a temporada de outono/inverno, que já está disponível no site.

Giorgio Armani

As novas apostas da Armani para a temporada são pensadas no contexto da pandemia, mais precisamente na superação da Covid-19. “Eu certamente projetei esta coleção com tempos melhores em mente”, escreveu o estilista em comunicado. Vale relembrar que Giorgio é o único designer atuante na moda que viveu durante o período entre guerras.

A linha feminina é composta, claro, por alfaiataria. Mas a silhueta feminina também ganha visual esportivo nos looks casuais desfilados. Casacos neutros recebem lapela ampla, enquanto parkas e calças sociais são apresentadas em veludo e cortes sociais.

Giorgio Armani/DivulgaçãoDesfile Giorgio Armani
O outono da grife mostra um armário em transição para o período pós-pandemia

 

Giorgio Armani/DivulgaçãoDesfile Giorgio Armani
Volume e texturas complementam os looks

 

Giorgio Armani/DivulgaçãoDesfile Giorgio Armani
Babados texturizados pontuam as peças

 

Giorgio Armani/DivulgaçãoDesfile Giorgio Armani
Peças confortáveis ganham a passarela da Armani

 

Giorgio Armani/DivulgaçãoDesfile Giorgio Armani
A alfaiataria desconstruída é outro ponto alto no desfile

A apresentação misturou modelos femininos e masculinos com peças confortáveis, seguindo a proposta de sair do sofá de casa para ganhar as ruas. Babados em espiral pontuam as peças e proporcionam novo formato de shape.

Salvatore Ferragamo

Futurista, a temporada de outono da Salvatore recebe a poderosa assinatura de Paul Andrew. O designer britânico assumiu a cadeira criativa da linha prêt-à-porter em 2017. “O arco-íris está relacionado ao passado de Ferragamo, já que Salvatore [estilista fundador] ficou famoso pelas cunhas de arco-íris que criou para Judy Garland”, explicou o designer à Vogue.

“Obviamente, o arco-íris é um símbolo de novos começos e positividade”, complementou. As luzes coloridas do fenômeno da natureza ilumina a passarela virtual no vídeo, com ares de ficção científica. Arcos também seguem a estética natural. Os elementos dão forma geométrica às estampas outonais.

Salvatore Ferragamo/DivulgaçãoDesfile Salvatore Ferragamo
Os ternos são apresentados em novas propostas, como macacões

 

Salvatore Ferragamo/DivulgaçãoDesfile Salvatore Ferragamo
Textura não fica de fora das novas criações

 

Salvatore Ferragamo/DivulgaçãoDesfile Salvatore Ferragamo
As modelagens ganham recortes e estampas

 

Salvatore Ferragamo/DivulgaçãoDesfile Salvatore Ferragamo
Moletom e PVC biodegradável são usados nos itens de vestuário

 

Salvatore Ferragamo/DivulgaçãoDesfile Salvatore Ferragamo
A cartela de cor é iluminada por tons vivos

 

Andrew acredita que a população irá abrir mão de roupas mais formais e que os ternos têm sido deixados de lado. Na nova coleção da grife, o estilista propõem uma brincadeira lúdica com as peças clássicas, como macacões. A cartela de cor fluorescente agrega ar de juventude aos modelitos.

Emilio Pucci

A nova coleção da Emilio Pucci aposta em um inverno ensolarado, representado nas estampas multicoloridas com desenhos gráficos. Os prints da temporada resort dão continuidade ao DNA forte e alegre da grife.

Outro ponto marcante da Maison é a estética despojada, complementada por capuz e meia-calça que ganham longitude ao cobrir os sapatos. A modernidade e ousadia pontua o clima invernal em casacos acolchoados, com cara de edredom.

Emilio Pucci/DivulgaçãoDesfile Emilio Pucci
As estampas representam as praias de St Tropez (França) à St Moritz (Suíça)

 

Emilio Pucci/DivulgaçãoDesfile Emilio Pucci
Com motivos gráficos, os prints seguem o DNA alegre e colorido da grife

 

Emilio Pucci/DivulgaçãoDesfile Emilio Pucci
O inverno da Pucci é ensolarado

 

Emilio Pucci/DivulgaçãoDesfile Emilio Pucci
As peças prezam pelo conforto e elegância

 

Emilio Pucci/DivulgaçãoDesfile Emilio Pucci
Casacos acolchoados ganham efeito visual de edredons

Peças que prezam pelo conforto também são traduzidas em jaquetas bomber e em shorts de seda. Outro material que ganha destaque é o veludo. Os volumes nos tecidos são proporcionados por preenchimentos sustentáveis, confeccionados em fibras de seda natural e garrafas R-PET, garantindo a sustentabilidade na linha.

Fonte: Metrópoles
print