Qual é o mínimo de exercício para manter o condicionamento físico?

Flórida, EUA

Qual é o mínimo de exercício necessário para manter o condicionamento físico? Essa pergunta sempre permeou nosso dia a dia, na medida em que, vez ou outra, nos deparamos com períodos em que por diversos motivos acabamos não conseguindo manter uma rotina adequada de exercícios, como trabalho, férias, problemas de saúde etc. E, certamente, no último ano essa pergunta tornou-se muito mais frequente, em função da pandemia de Covid-19 e das medidas de isolamento social.

Manter uma pequena rotina de exercícios, de poucos minutos, algumas vezes por semana já proporcionará resultados bastante importantes para a manutenção da saúde e da qualidade de vida — Foto: Istock Getty Images

Manter uma pequena rotina de exercícios, de poucos minutos, algumas vezes por semana já proporcionará resultados bastante importantes para a manutenção da saúde e da qualidade de vida — Foto: Istock Getty Images

Uma revisão sistemática publicada muito recentemente mostra que o condicionamento aeróbico pode ser mantido por até quinze semanas, mesmo que a frequência de treinamento seja reduzida para apenas duas sessões por semana, ou que o volume de treino seja reduzido significativamente (até 66%), desde que a intensidade (que pode ser facilmente controlada através da aferição da frequência cardíaca) seja mantida.

Com relação à força e à massa muscular, em populações mais jovens ambas podem ser preservadas desde que se mantenha ao menos uma sessão por semana com pelo menos uma série de exercícios de fortalecimento por grupo muscular, com a condição de que também se mantenha a intensidade (carga) inalterada. Entretanto, cabe ressaltar que no caso da população mais idosa, a dedicação precisa ser um pouco maior, uma vez que para que a massa muscular seja mantida, são necessárias entre duas e três séries de exercícios por grupo muscular, duas vezes por semana, sempre mantendo a mesma intensidade (carga).

Podemos perceber desta forma que perdemos o condicionamento físico quando adotamos uma postura de “tudo ou nada”, em que escolhemos interromper a prática de exercícios quando não podemos realizar o treino exatamente como estamos habituados.

Em resumo: no tocante à prática de atividades físicas, pouco é melhor do que nada. Manter uma pequena rotina de exercícios, de poucos minutos, algumas vezes por semana já proporcionará resultados bastante importantes para a manutenção da saúde e da qualidade de vida.

* As informações e opiniões emitidas neste texto são de inteira responsabilidade do autor, não correspondendo, necessariamente, ao ponto de vista do Ge / Eu Atleta.

Fonte: Globo Esporte 

print