Em pior dia da pandemia, Goiás quebra recorde de óbitos por covid-19 em 24 horas

Segundo dados da Secretaria de Estado e Saúde (SES-GO), divulgados na tarde desta quarta-feira (3/3), Goiás registrou 169 novos óbitos em decorrência do novo coronavírus, maior número de óbitos em 24 horas desde o início da pandemia no Estado.

De acordo com a pasta, Goiás também registrou 3.831 novos casos da doença no período, o número de casos confirmados chegou a 404.965 no Estado. Destes, há registro de 385.785 pessoas recuperadas. O Estado possui 10.466 casos ativos, 341.693 suspeitos e 231.075 casos suspeitos foram descartados.

Foram registrados 8.714 óbitos em decorrência da doença desde o início da pandemia. A taxa de mortalidade no Estado é de 2,15%. Ainda são investigados 245 óbitos suspeitos e 61 já foram descartados.

Leitos

Os dados da secretaria apontam 96,9% de taxa de ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTI’s) em hospitais sob gestão do governo de Goiás. São 419 leitos ofertados pelo Estado, destes, 381 estão ocupados, 25 bloqueados e 13 disponíveis.

Já em leitos de enfermaria, a taxa de ocupação é de 86,71%. Dos 459 ofertados por hospitais estaduais, 310 estão ocupados, 88 bloqueados e 61 disponíveis.

Medidas de contenção

Em anúncio realizado no último sábado (27/2), os prefeitos de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos), de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (MDB), e o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), oficializaram novas restrições para conter o avanço da covid-19 na região metropolitana da capital.

A medida, que teve início na última segunda-feira (1º/3), vale, inicialmente, por sete dias, mas pode ser prorrogada. O objetivo é conter o avanço da doença e diminuir a ocupação de leitos nos hospitais de Goiânia e região metropolitana.

 

A intenção é que permaneçam abertos neste período supermercados, farmácias, postos de gasolina, oficinas mecânicas, borracharias, indústrias essenciais e pet shops.  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: O Hoje

print