Regional Norte passa ao risco crítico, mas Goiás ainda tem 16 regiões em situação de calamidade

Apenas duas regiões não estão em calamidade. (Foto: Reprodução)

O mapa de risco atualizado semanalmente pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-GO) teve apenas uma alteração em relação à versão anterior. A Regional Norte, que estava em calamidade, evoluiu para situação crítica, a intermediária entre os três cenários.

Assim, o norte e a Regional Nordeste II estão classificadas como críticas. Porém, todas as demais 16 regionais seguem em situação de calamidade, segundo a SES-GO.

A Nordeste II é sediada em Posse e tem pouco mais de 100 mil habitantes. A sede da Regional Norte é Porangatu. Essa região abriga 140 mil goianos.

As regiões que seguem em calamidade são: Central, Centro-Sul, Entorno Norte, Entorno Sul, Estrada de Ferro, Nordeste I, Oeste I, Oeste II, Pirineus, Rio Vermelho, São Patrício I, São Patrício II, Serra da Mesa, Sudoeste I, Sudoeste II e Sul.

Critérios

Para classificar as regiões, a SES-GO utiliza seis critérios, sendo três relacionados ao contágio e outros três à sobrecarga do sistema de saúde.

Para cada um dos indicadores, foram estabelecidos parâmetros de corte de forma a atribuir uma situação conforme o valor daquele indicador, para cada Região de Saúde.

Cada indicador, conforme sua relevância, impacta no cálculo do índice conforme peso pré-definido; ou seja, a situação encontrada para cada indicador, é multiplicada pelo peso do mesmo na composição do índice apresentado no mapa, como uma média ponderada.

Veja como cada região ficou em cada critério

 

Por Diário de Goiás

print