Idoso morre dentro de agência bancária enquanto estava sendo atendido, em Goiânia.

Ex-mulher e genro o acompanhavam quando o aposentado começou a passar mal. Ela disse que pessoas que estavam no local a acusaram de entrar no banco com o ex-marido morto: ‘Nunca faria isso’.

O aposentado Marcondes Pereira da Silva, de 63 anos, morreu enquanto era atendido em uma agência bancária no Setor Leste Vila Nova, em Goiânia. Ex-mulher da vítima, Maria Aparecida Damasceno o acompanhava e disse que pessoas a acusaram de levá-lo morto ao local, mas que isso não é verdade.

“Entrei com ele vivo dentro do banco. Eu nunca faria isso. Imagina, levar um defunto para sacar aposentadoria? Quem pensa nisso não bate bem da cabeça”, se defendeu..

O Instituto Médico Legal (IML) levou o corpo do idoso para ser analisado por ser um fato atípico, mas os policiais que estiveram no local indicaram que foi uma possível morte natural.

O caso aconteceu na manhã de sexta-feira (6). De acordo com a ex-mulher da vítima, o idoso estava em uma cadeira de rodas porque ficou com sequelas depois de um acidente de trânsito. Ela foi, junto com o genro, acompanhá-lo à agência bancária para ajudá-lo a sacar a aposentadoria, já que o cartão que ele usava havia sumido.

“Chegamos por volta de 9h e não nos deixaram entrar, tivemos que esperar do lado de fora, no sol. Depois, entramos, a moça pegou os papéis dele para atender e vi que a unha dele parecia que estava ficando branca”, contou.

A aposentada disse que imediatamente chamou a atenção do genro e começou a pedir ajuda, porque o idoso parecia estar passando mal, mas que ele não emitiu nenhum som ou expressou qualquer dor.

“Tinha um socorrista no caixa eletrônico, deixaram que ele passasse para ajudar. O pessoal do banco também fez massagem cardíaca nele. Eu pedi para chamarem os bombeiros”, afirmou.

O Corpo de Bombeiros esteve no local por volta de 10h20 e constatou que o idoso havia morrido. A Polícia Militar também foi chamada e acionou o IML, que foi buscar o corpo.

Segundo a Polícia Civil, a filha da vítima esteve no local, contou que o pai morava com ela e que era um idoso saudável, mas que apresentou falta de ar no dia anterior.

A Polícia Técnico-Científica informou que, à pedido da Polícia Civil, faz exames para determinar a causa da morte e quando ela ocorreu. A corporação explicou ainda que os resultados, quando ficarem prontos, serão repassados aos investigadores.

O corpo já foi periciado e liberado para a família, que deve fazer os procedimentos burocráticos para retirá-lo e realizar velório e enterro neste sábado (6).

Fonte: G1 Goiás

print