Com 96% das UTI’s ocupadas, Goiás registra 16 novos óbitos por covid-19

Dados do Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO), na tarde desta segunda-feira (8/3), registram 1.879 novos casos e 16 novos óbitos causados pelo novo coronavírus.

Os dados da secretaria também apontam 96,99% de ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) destinadas ao tratamento do novo coronavírus em hospitais públicos e privados do Estado. Goiás possui 996 leitos de UTI destinados ao tratamento da doença. Destes, 966 estão ocupados.

De acordo com a pasta, Goiás possui 414.939 casos confirmados da doença. Destes, há registro de 395.157 pessoas recuperadas da doença. Também há 348.416 casos suspeitos em investigação e já foram descartados 233.429 casos.

O número de óbitos em Goiás chegou a 8.944, o que significa uma taxa de letalidade de 2,16%. São investigados 260 óbitos suspeitos, e 61 já foram descartados.

Restrições

Em reunião virtual, prefeitos da Região Metropolitana de Goiânia (RMG) se reuniram no último sábado (6/3), em dois momentos, para debater as novas medidas que serão adotadas em todos os municípios que integram a RMG a partir desta segunda-feira (8/3), data em que se encerram os primeiros sete dias de suspensão das atividades não essenciais na capital e nas cidades vizinhas.

Com isso, foi definido que um novo decreto, publicado no último domingo (7/3), com validade de mais 7 dias. As medidas foram discutidas e endossadas também pelo governo do Estado, Ministério Público de Goiás, Defensoria Pública e Tribunal de Contas dos Municípios. Dentre as alterações, distribuidoras só poderão funcionar pelo sistema delivery e o acesso a supermercados será restrito a somente um membro do núcleo familiar por vez. Já a fiscalização do transporte coletivo, bem como do funcionamento do comércio, será ampliada.

Dentre as novas medidas apresentadas pela Prefeitura de Goiânia estão o fechamento de ferragistas e lojas de materiais de construção, além de bares, restaurantes e distribuidoras, que somente vão poder oferecer o serviço de delivery.  Somente um integrante da família será autorizado a entrar em supermercados. No mais, Rogério Cruz disse que a administração municipal vai seguir o mesmo decreto e intensificar ainda mais a fiscalização.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: O Hoje

print