Ocupação de leitos de UTI em hospitais públicos estaduais atinge 99,53%

Há apenas dois leitos de UTI disponíveis para Covid-19 na rede pública estadual; 408 utis estão ocupadas.

O número de leitos destinados ao tratamento de complicações causadas pelo novo coronavírus atingiu sua ocupação máxima na manhã desta segunda-feira (8). A UTIs possuem 99,53% de lotação e as enfermarias 90,22%. Esses percentuais são os mais altos desde que os novos casos da doença chegaram a Goiás, em março de 2020. As informações são da Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO).

Segundo a plataforma disponibilizada pela pasta, há apenas duas vagas de UTI livres na rede pública do Estado. A Santa de Casa de Misericórdia em Catalão tem uma vaga disponível e a outra pertence ao Hospital Vital de São Luís de Montes Belos. No total, 408 leitos de unidade intensiva da rede pública do Estado estão ocupados.

Mas, nas enfermarias, a situação também é crítica. São apenas 48 leitos livres nos hospitais públicos estaduais. Sendo 14 no HCamp de Itumbiara, oito no HCamp de Rio Verde, três no Huana em Anápolis, um no Heja de Jaraguá, dois no HCamp de de Luziânia, um no HCamp de Porangatu, um no HCamp de Porangatu, três no Hospital Municipal de Senador Canedo, um no HCamp de São Luís de Montes e dois no Hutrin, em Trindade.

Já em Goiânia, o Hugol conta com sete vagas de enfermaria, o Crer com outras quartro e o HCamp com duas. No total, 335 pacientes com complicações da Covid-19 ocupam os leitos de enfermaria destinados para a doença na rede pública do Estado.

Fonte: Mais Goiás
print