Dominick Cruz desafia funcionário de patrocinadora do UFC para luta e o acusa de fazer chantagem

Por Combate.com — Rio de Janeiro

Dominick Cruz desafiou funcionário de empresa patrocinadora e o acusou de má conduta com lutadores — Foto: Reprodução / YouTube MMAJunkie

A coletiva de Dominick Cruz após sua vitória no UFC 259, no último sábado, fugiu ao que se passou dentro do octógono, onde venceu Casey Kenny numa decisão dividida pelo peso-galo (até 61kg). Após encerrar uma série de duas derrotas seguidas, o ex-campeão colocou em pauta um desafio a Hans Molenkamp. Mas o que a imprensa se perguntava era: quem é Hans Molenkamp? No plantel do UFC ele nunca foi visto. Na verdade, ele nunca lutou na carreira, mas Dominick Cruz sugeriu uma luta em prol da caridade.

Hans Molenkamp é um funcionário da empresa de bebida energética Monster Energy, que é uma patrocinadora do UFC. Segundo Dominick Cruz, essa pessoa interagia com lutadores e fazia pedidos a eles sob ameaça de reter seus pagamentos. O lutador de 35 anos acredita que Molenkamp esteja desvirtuando sua relação com os atletas.

– Ele provavelmente vai adorar ser envolvido nisso, para ser honesto, então é realmente um benefício para ele, deveria me agradecer. Acontece que estamos numa época em que você pode – se eu tirar uma foto com Conor McGregor, agora sou amigo de Conor McGregor, certo? Se eu tirar uma foto com Dominick Cruz e ele comentar em minha página, estamos em tempos em que isso faz parecer que somos amigos. Posso ser seu amigo, mas você não pode me usar para obter influência. Não estou aqui para ser usado. Olhe para o meu rosto, olhe para o meu corpo, sou espancado até a morte para viver. Então, quando você me força e me manda mensagem dizendo que se eu não comentar na sua página, se eu não te der uma entrevista, você vai ficar com o que paga minhas contas? O que estamos fazendo? Monster me patrocina, não você – disse o lutador segundo reportagem do site “MMA Fighting”.

Cruz foi além e pediu um desafio com Hans Molenkamp, e lembrou que ele seria muito menor que o desafeto da empresa patrocinadora do UFC.

– Vamos fazer um evento de caridade, a Monster escolhe a instituição de caridade. Ele diz que tem três lutas profissionais, vamos provar, ponha seu dinheiro onde sua boca está. Você tem um cara pequeno te chamando por caridade, não por qualquer outra coisa. Por que não?

 

Dominick Cruz venceu Casey Kenney por decisão dividida no UFC 259 — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC

Dominick Cruz venceu Casey Kenney por decisão dividida no UFC 259 — Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC

Dana White comentou um assunto quando questionado na coletiva após o UFC 259, quando os jornalistas já tinham ouvido Cruz. O presidente do UFC não escondeu que não gosta também de Hans Molenkamp, mas fez questão de exaltar a relação com a patrocinadora.

– É tudo estranho. Hans é um cara bobo? Sim, é um cara muito bobo. Mas eles são patrocinadores. Esses caras são patrocinadores, ótimos patrocinadores, pagam muito dinheiro para esses caras. A Monster é uma dessas empresas que realmente cuida das pessoas e é a empresa delas. Eles podem patrocinar quem quiserem, podem dirigir seus negócios como quiserem. Não é como uma situação de trabalho em que você está trabalhando para alguém e não está feliz com a maneira como está sendo tratado. Este é um acordo de patrocínio (…). Portanto, se você não gosta da maneira como eles fazem negócios, não faça negócios com eles. Eles têm sido bons para nós, para o esporte e para os lutadores. Entendo, ele (Dominick) não gosta dele (Hans), e alguns caras têm problema com ele. É fácil descobrir isso, mas a Monster como empresa têm sido sólida, não poderiam ser melhores.

Dana não falou sobre uma possível luta entre o funcionário da empresa de bebidas e Dominick Cruz. Mas o lutador aproveitou a exposição para reforçar o pedido.

– Dana, talvez você faça isso. Talvez você possa organizar esse evento de caridade. Ele se autodenomina um lutador profissional. Hans, vamos lá!

print