“Lockdown bem fiscalizado pode minimizar tragédia”, segundo especialistas

Nosso país vem batendo um recorde que ninguém gostaria de ter, o de número de vítimas fatais pelo Covid-19. Na última quarta (10/3), 2.286 pessoas morreram por causa do coronavírus no Brasil, com quase 80 mil novos registros nas últimas 24 horas.

Se compararmos os Estados Unidos, que até então vinham batendo os números mais altos, lá foram registrados 1.954 mortes pelo Covid-19. Esses dados trazem preocupação a população e comunidade cientifica, e segundo o infectologista Marcos Boulos, só o Lockdown pode ajudar a diminuir a tragédia que assolará o Brasil.

Em entrevista ao BBC, o médico cita que um isolamento social cumprido rigorosamente pode reduzir a curva de óbitos até o mês de agosto. Ele defende que haja ações mais radicais, com intervenção policial, fiscalização e autuações que possam inibir as pessoas de descumprirem o isolamento.

O especialista em infectologia ressalta que a vacinação também tem sua importância a médio e longo prazo, pois a principio, elas não iriam diminuir a curva ascendente de falecimentos. “Como são duas doses e elas precisam de certo tempo para ter eficácia, o isolamento ainda se faz necessário”, comenta.

A variante P1, detectada pela primeira vez em Manaus, capital do Amazonas, tem uma taxa maior de infecção, e para agravar, ela tem sido mais forte e letal nos jovens. Com o afrouxamento das medidas de prevenção, festas de final de ano e carnaval, a consequencia foi a subida vertiginosa do número de casos registrados.

Exemplo de solução

A cidade de Araraquara, no interior de São Paulo, vendo esta subida demasiada do número de infectados adotou medidas drásticas, decretou um lockdown total. Todos os serviços, exeto na área da saúde, foram fechados. Uma fiscalização pesada foi implementada pelo governo municipal, e o resultado foi que nos últimos cinco dias hove uma queda nos casos de infecção. Segundo a Secretaria da Saúde da cidade, até o dia 5 de março eram registrados cerca de 180 casos por dia, e a média abaixou para cerca de 65, que representa mais de 60% de queda.

Erros em Goiânia

Apesar da capital goiana ter aderido ao Lockdown, a fiscalização tem pecado em fazer cumpri-lo. Há registros de aglomerações e o número de vítimas tem crescido no município. O governo está perdido em como realizar as ações e minimizar os danos, então é frequente a cena de gente descumprindo as orientações pelas ruas da cidade.

No total, mais de 270 mil pessoas foram mortas por conta desta doença no Brasil, seguindo a atual ascendência da curva de casos, o número pode chegar a mais de 500 mil em agosto.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: O Hoje

print