Goiás tem segundo pior dia de mortes da pandemia com 220 registros em 24h, diz governo

Ao todo, estado contabiliza 9.807 mortes e 440.870 pessoas contaminadas com o vírus. Mais de 300 pessoas aguardam vaga em leitos de UTI para tratamento da doença.

Goiás registrou o segundo pior dia de mortes da pandemia com 220 registros em 24 horas, conforme mostram os dados da Secretaria Estadual de Saúde divulgado nesta terça-feira (16). O recorde de mortes em um dia foi de 267, em 10 de março. A pasta contabiliza, ao todo, 9.807 mortes e 440.870 pessoas contaminadas com o vírus.

Com o agravamento da crise na saúde pública em todas as regiões do estado, o governo Ronaldo Caiado (DEM) anunciou nesta terça a volta do revezamento das atividades econômicas no modelo de escalonamento de abrir e fechar o comércio não essencial de 14 em 14 dias. A medida começa a valer na quarta-feira (17).

Segundo o governador, no caso de municípios em situação considerada de calamidade, o decreto estadual deve se sobrepor ao municipal, com intuito de controlar a oferta e demanda dos serviços de saúde.

“Você não tem leito, se tem demanda maior do que a oferta, então não tem como ter dois protocolos diferentes. […] Hoje a situação do estado de Goiás é de todo o mapa em calamidade, [nesse caso] prevalecem as regras do decreto estadual”, disse.

A fila de espera de pacientes por leitos de UTIs é extensa. Até as 8h desta terça-feira, o Complexo Regulador Estadual de Goiás estava com 305 pedidos para internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Covid-19 e 231 de enfermaria.

Em Goiânia e Aparecida de Goiânia, as prefeituras editaram decretos nesta semana com modelo semelhante de fechamento do comércio por 14 dias, reavaliando a medida após o período conforme o cenário epidemiológico.

Cidades adotaram medidas mais severas para conter o avanço da Covid-19 entre a população. No Entorno do DF, por exemplo, prefeitos adotaram o fechamento total do comércio não essencial e o toque de recolher. Entre 20h e 5h, os moradores não podem ficar em vias públicas.

A situação da rede hospitalar de Inhumas chegou ao limite nesta terça. A prefeitura decretou estado de calamidade na saúde pública. A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e o hospital municipal atendem acima da capacidade máxima, ao ponto de a UPA colocar pacientes com Covid-19 até na capela da unidade.

Hospitais lotados

Com o avanço do vírus entre a população goiana, 21 hospitais da rede estadual de saúde registraram 100% de ocupação dos leitos de UTIs nesta terça-feira:

  1. Itumbiara/Hospital Municipal
  2. Anápolis/Huana
  3. São Luís de Montes Belos/Hospital Vital
  4. Trindade/Hutrin
  5. Santa Helena/Hurso
  6. Mineiros/Hospital Municipal
  7. Goiânia/Hcamp
  8. Senador Canedo/Hospital Municipal
  9. Jataí/Hospital Municipal
  10. Formosa/Hcamp
  11. Goiânia/Hugo
  12. Rio Verde/Hospital Municipal
  13. São Luís de Montes Belos/Hcamp
  14. Nerópolis/ SAG. Coração
  15. Porangatu/Hcamp
  16. Catalão/Nars Faiad
  17. Goiânia/HDT
  18. Hospital Ortopédico de Goiânia
  19. Goiânia/Hospital Ruy Azeredo
  20. Goiânia/Gastro Salustiano
  21. Clínica do Esporte de Goiânia

 

A média de ocupação de todos os hospitais da rede, somado aos conveniados, bateu 97% nesta terça-feira. Na enfermaria, o índice é de 90%.

O índice de ocupação da rede de saúde de Goiânia é de 98% das UTIs e 96% das vagas de enfermaria em uso.

Vacinação

Um levantamento oficial realizado pela SES apurou que, referente à primeira dose, foram aplicadas 301.631 doses das vacinas contra a Covid-19 em todo o estado. Em relação à segunda dose, foram vacinadas 86.885 pessoas até esta terça-feira.

Em relação ao recebimento e distribuição de vacinas, o estado já recebeu 584.280 doses, sendo 465.280 da CoronaVac e 119 mil da AstraZeneca.

Evolução dos casos

Casos confirmados:

  • O governo estadual registrou os três primeiros casos de Covid-19 em 12 de março;
  • Em 6 de maio, Goiás ultrapassou 1 mil casos confirmados e atingiu 45 mortes;
  • Em 15 de junho, o estado contabilizou 10 mil casos de coronavírus e 226 mortes;
  • Em 14 de agosto, o estado ultrapassou 100 mil casos confirmados da doença;
  • No dia 18 de agosto, o estado registrou o recorde de casos, com 4.128 novas confirmações e 128 mortes por Covid-19 em um dia;
  • Goiás ultrapassa 150 mil casos em 9 de setembro;
  • Em 18 de dezembro, o número dobrou, ultrapassando 300 mil casos;
  • A Secretaria de Saúde informou no dia 30 de janeiro que foram registrados 350 mil casos;
  • Goiás registrou 400 mil casos confirmados em 2 de março.

 

Mortes confirmadas:

  • A primeira morte por coronavírus registrada em Goiás foi em 26 de março;
  • A marca de 1 mil mortes foi registrada em 16 de julho, dois meses após o início da pandemia em Goiás;
  • No dia 18 de agosto, o estado registrou o recorde de mortes, com 128 novas confirmações em um dia;
  • A marca de 3 mil mortos foi atingida em 28 de agosto;
  • Em 7 de outubro, Goiás ultrapassou as 5 mil mortes pela doença;
  • Goiás chegou a 8 mil mortes em 15 de fevereiro de 2021.

 

 

 

 

 

Fonte: G1 Goiás 

print