Saiba quem é Marcelo Queiroga, que vai substituir Pazuello na Saúde

Metrópoles reuniu postagens de Queiroga em relação à Covid-19. Ele defende máscara e o fortalecimento do sistema de saúde.

Marcelo Queiroga, de 55 anos, escolhido para ser o novo ministro da saúde, é médico formado pela Universidade Federal da Paraíba. Ele fez residência médica no Hospital Adventista Silvestre, no Rio de Janeiro, e treinamento em hemodinâmica e cardiologia intervencionista na Beneficência Portuguesa de São Paulo.

O médico também é responsável pelo Departamento de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista do Hospital Alberto Urquiza Wanderley, em João Pessoa (PB), e presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia .

Desde o início da pandemia, Queiroga tem usado as redes sociais para pedir à população que respeite as medidas de proteção ao coronavírus, como o uso de máscara. Em post ele diz: “ATENÇÃO – Use Máscara!!!”

Flávio Bolsonaro

Queiroga é amigo do também cardiologista Hélio Roque Figueira, sogro do senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente da República. Flávio chegou a indicar o nome de Queiroga para a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Ele esperava a sabatina do Senado, suspensa por causa da pandemia.

Em outro vídeo, em que Queiroga conversa com Ricardo Piquet, diretor executivo do Museu do Amanhã, sobre a exposição Coronaceno, o cardiologista defende outras medidas protetivas:
“Sabemos que é uma doença que não tem um tratamento específico. Nós dispomos de outras medidas que são eficazes como o uso de máscara, as questões do distanciamento social e tentar levar a nossa vida normal já que a vida não pode parar”.

O cardiologista ainda falou sobre a saúde no país: “A principal missão é o fortalecimento do sistema de saúde. Precisa tirar do papel e levar efetivamente para a prática. Já avançamos muito com a questão da vacinação”, acrescentou.

O cardiologista tem no currículo intensa atuação na Associação Médica Brasileira (AMB) e na Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (SBHCI), que também presidiu.

É casado com uma pediatra e tem três filhos – uma é médica, outro está a caminho da mesma formação e o terceiro filho é advogado.

Apoio a Mandetta

No Youtube, um vídeo intitulado “Apoio a Mandetta”, mostra o futuro ministro da Saúde elogiando o seu antecessor. Postado há 11 meses, Queiroga diz a Mandetta: “Os cardiologistas estão todos juntos com a vossa excelência para melhorar a qualidade de vida da nossa população. Para nós, os médicos do Brasil é um prazer muito grande vê-lo à frente do Ministério da Saúde”.

Na ocasião, Queiroga acrescenta: “Hoje vê-lo à frente do Ministério da Saúde é a realização de um sonho, é a certeza de que após quase duas décadas temos alguém realmente identificado com os valores da medicina brasileira”.

“Somos parceiros, para não só fazer com o que o sistema de saúde seja sustentável, mas também um sistema de saúde suplementar, gerando empregos e rendas”, finalizou o agora futuro ministro da Saúde.

Política

Na semana passada, Queiroga se reuniu com o ministro do Turismo, Gilson Machado. De acordo com o cardiologista o objetivo do encontro era elaborar “o mais importante evento da cardiologia do mundo e uma plataforma global para profissionais em saúde cardiovascular é sinônimo de movimentação econômica para o país. Com estimativa de 30 mil participantes, muitos deles internacionais, a expectativa de receita com turismo é de 50 milhões de dólares”, disse.

 

 

 

 

 

Fonte: Metrópoles 

print