Fiscalização fecha casa de prostituição e bar de narguilé que tinha até festa de aniversário, em Goiânia

A fiscalização da prefeitura fechou uma casa de prostituição e um bar de narguilé que tinha até uma festa de aniversário, em Goiânia. De acordo com a Secretaria Municipal de Planejamento (Seplanh), os dois estabelecimentos foram multados e o dono do bar de narguilé e um funcionário foram levados à delegacia por desobediência e infração de medida sanitária.

“Eles tentaram impedir que a gente fechasse o local, discutindo e até tentaram agredir a equipe”, disse o auditor fiscal de posturas da Seplanh André Barros.

 

Conforme agentes da fiscalização, o dono e o funcionário do bar assinaram um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e foram liberados em seguida. Como os nomes não foram divulgados, o G1 não conseguiu contato com a defesa deles.

A operação da Central de Fiscalização da Covid-19 aconteceu na noite de sexta-feira (19) e madrugada de sábado (20). De acordo com o auditor fiscal de posturas da Seplanh, todos os clientes do bar de narguilé, que fica no setor Vila Rosa, estavam sem máscaras, dançando e compartilhando biqueiras em um espaço de aproximadamente 50 m².

“Não tinha distanciamento. Era um espaço pequeno e fechado com exatamente 50 pessoas. Consciência zero. Assim não tem como fazer esse vírus parar de circular”, disse o auditor.

O bar foi autuado pela falta de alvará de funcionamento, violação do decreto municipal e por falta de licença ambiental. A multa de todas as autuações somadas é de R$ 11,4 mil. As pessoas foram retiradas e o local interditado.

Além da Seplanh, participaram da operação agentes da Agência Municipal do meio Ambiente (Amma), Guarda Civil e Vigilância Sanitária.

Prostíbulo multado em mais de R$ 24 mil

 

Na casa de prostituição, que fica no setor Jardim Itaipu, os agentes da prefeitura encontraram 44 pessoas, entre clientes e funcionários, todos sem máscaras. Conforme o auditor de posturas, o local era um espaço bem grande, com bar, sala de jogos, espaço com churrasqueira e piscina, além de oito quartos. A casa também foi multada e interditada.

“Nessa casa era um lugar bem grande, mas todos sem máscara, ninguém usa máscara nesses lugares, bebendo”, disse o auditor da Seplanh.

O dono do local foi autuado por não ter alvará de funcionamento de bar, pelo local ser um prostíbulo, por poluição sonora e pelo descumprimento do decreto municipal. A multa foi de mais de R$ 24 mil. A fiscalização conseguiu identificar ainda cerca de 20 pessoas que também devem ser autuadas pelo não uso da máscara de proteção facial.

“As pessoas insistem em descumprir os decretos e não imaginam o risco que estão correndo nesse momento. Eles [estabelecimentos] ficam interditados, não podem abrir, caso insistam as multas são dobradas, podendo ter até apreensão de mercadorias”, disse a presidente da Amma, Vilma Peixoto.

 

A fiscalização chegou até os dois locais após receberem nove denúncias pelo aplicativo Prefeitura 24h, pelo telefone da Amma 161 e Guarda Civil 153.

Fonte: G1 Goiás

print