Fundação entrega 10 leitos de UTI ao Hospital Santa Bárbara

Na tarde da terça-feira (06/4), a Fundação Tiradentes realizou a entrega, no Hospital Santa Bárbara, de 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para atendimento prioritário dos policiais militares com Covid-19. As entregas foram em apartamentos simples, humanizados e também enfermarias. A ação surgiu devido ao cenário de pandemia e da lotação nos hospitais em Goiás no mês de março, alavancando assim esforços por parte da Polícia Militar e da Fundação Tiradentes.

Dos 10 leitos entregues, 3 serão de uso exclusivo dos beneficiários da Fundação Tiradentes, enquanto os outros 7 são de uso preferencial, permanecendo disponíveis para ocupação do grupo prioritário por 48 horas. O grupo é composto por policiais militares, ativos ou veteranos, pensionistas e dependentes de policiais militares, familiares e outros agentes da Segurança Pública no Estado de Goiás. O Hospital Santa Bárbara anunciou que divulgará diariamente a quantidade de leitos disponíveis, ocupados e a previsão de liberação, quando houver.

A Fundação também realizou a aquisição e disponibilização em cessão de uso de equipamentos para complementar a estrutura do hospital, que vai atender aos militares como ventiladores, monitores e software de monitoramento. O Santa Bárbara, que é acreditado ONA, uma das mais importantes certificações de qualidade na área de saúde no Brasil – que reconhece o trabalho de melhoria contínua implementado em todos os procedimentos do hospital -, começa a atender os militares já a partir desta semana. O hospital aceita todos os convênios, como Ipasgo, Unimed, entre outros.

A ação, capitaneada pelo Comando Geral com a execução da Fundação Tiradentes, vem para somar com a estrutura do Hospital da Polícia Militar – HPM, que já é ofertada à corporação para aumentar o suporte aos casos de Covid-19. “Gerar assistência ao policial militar é o compromisso essencial da Fundação Tiradentes e este é mais um passo que damos nesse sentido, principalmente diante de uma situação sanitária tão incerta e preocupante como a que vivemos com a pandemia”, afirma a Major Carita Celine, diretora administrativa da Fundação Tiradentes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: O Hoje

print