Municípios Goianos não prestam contas de 39% de vacinas

Em comunicado oficial emitido na quarta, 07, o Governo de Goiás pediu esclarecimento aos prefeitos sobre o número de vacinas aplicadas nas cidades do estado. De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 39% das vacinas enviadas para Goiás não constam como aplicadas ou descartadas.

O governador Ronaldo Caiado ressalta em nota a importância de se prestar esclarecimentos periódicos e precisos a respeito da imunização. Os números totais de vacinas enviadas às cidades do estado foram de 1.031.380, mas constam como registradas a utilização somente de 624.715, ou seja, 39,42% não foram justificadas seu uso, armazenamento ou descarte.

De acordo com o secretário de saúde, Ismael Alexandrino, a deficiência na atualização destes dados pode prejudicar o recebimento de novos estoques. Segundo ele, os municípios podem não receber a quantidade necessária por essa falta de informações, pois se pressupõem que há estoque, e a entrega é priorizada onde tem falta.

Dentre as 15 cidades que mais receberam vacinas do governo, as que têm menor proporção de utilização após recebimento são Itumbiara em primeiro com 62% e em segundo com 51% e Aparecida de Goiânia.

Em Itumbiara consta que 12.634 doses não foram utilizadas ainda segundo o sistema, esta reportagem tentou contato com a assessoria de comunicação da cidade via telefonema, mas o número que consta no site oficial não completa a chamada. Lá 14.550 pessoas receberam a primeira dose da vacina, e destes, 5.890 também receberam a segunda dose, de acordo com o relatório publicado pelo governo estadual.

Aparecida de Goiânia

Já em Aparecida de Goiânia, pelo relatório oficial do Ministério da Saúde, 35.228 doses não tiveram registro de utilização confirmado. Dos habitantes do município, 23.504 receberam a primeira dose e 10.968 também tomara à segunda.

De acordo com a assessoria de comunicação da cidade, houve um problema técnico na atualização dos dados no sistema do Ministério da Saúde, porém, a informação passada a nossa redação é de que 43.974 pessoas receberam a 1° dose e 15.300 a segunda, ou seja, há uma discrepância para menos na primeira imunização. Atualmente há 6.300 doses em estoque na cidade reservadas para aplicação da segunda dose.

Segundo a resposta, houve uma perda técnica de 1.805 doses em frascos com descrição contendo 10 doses, no entanto ao administrar continuam apenas uma média de 08 doses por frascos. “Lote: 210060 laboratório Butantan, o município recebeu 8.800 doses deste lote. Os relatórios de falha técnica foram preenchidos e encaminhados ao Ministério da Saúde,  ressaltamos que vários municípios relataram a mesma falha).”, trecho da justificativa.

Na capital

Consta no relatório do Ministério da Saúde que Goiânia recebeu 277.472 doses do imunizante, sendo que 189.886 são voltados à primeira dosagem e 87.586 para a segunda. A capital registrou uma falta de prestação de informação de 31% das vacinas recebidas, tendo 120.090 recebido à primeira dose e destes, 43.166 foram imunizados com a segunda dose.

Entramos em contato com a Secretaria da Saúde da capital, e segundo eles, 182.035 pessoas receberam a primeira dose, e 63.890 foram vacinados com a segunda dose. Há uma clara falta de prestação de serviço de atualização de informações para com o Ministério da Saúde, já que os dados não batem, e isto pode prejudicar a vacinação da população da capital, tendo em vista que a distribuição de mais doses é feita a partir de estudos feitos encima dos dados recebidos pelo Ministério da Saúde de vacinas utilizadas.

 

Região Metropolitana

Em Trindade foram recebidas 12.100 para a primeira dose, e destas, 7.554 foram registradas o uso, e da segunda dose o município recebeu 4.450, e utilizou 2.305. No total, a cidade da fé faltou prestar esclarecimento sobre 40% dos imunizantes recebidos. De acordo com a assessoria de comunicação da prefeitura, não há vacinas no estoque da Secretaria da Saúde municipal, o que faz a distribuição lenta é que os dados são preenchidos manualmente e depois digitalizados e dai colocados a disposição do Ministério da Saúde.

 Outra cidade do entorno da capital, Senador Canedo deixou de registrar 41% das vacinas destinadas a primeira dose e 43% das de segunda dose. Segundo o documento do governo, o município vacinou 5.511 na primeira e 1.703 na segunda dosagem. No total falta prestar esclarecimento do uso de 46% delas.

Entramos em contato com a assessoria de imprensa da cidade, questionamos sobre se de fato essas vacinas não foram utilizadas ou registradas, também perguntamos sobre se há déficit em profissionais da saúde para atuarem na campanha de imunização, mas não fomos respondidos até o fechamento desta reportagem.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: O Hoje

print