Número de mortes por Covid-19 em Goiás maior em relação a outros estados se deve a diferentes cronologias da pandemia, diz secretário

Secretário Estadual de Saúde, Ismael Alexandrino diz que a consolidação dos dados de óbitos demoram um pouco o que ocasiona essa percepção de alta.

O último boletim epidemiológico mostra que Goiás tem 13,6 mil óbitos confirmados pela Covid-19. Em material veiculado no último domingo, 18, pelo Fantástico, programa da TV Globo, o estado aparece entre os com maior aumento no índice de morte pela doença. Em contrapartida, registrou pela primeira vez desde fevereiro deste ano uma taxa de ocupação dos leitos de UTI abaixo dos 90%, atingindo um percentual de 89,3%.

O secretário Estadual de Saúde, Ismael Alexandrino explica que o número alto de mortes é devido a cronologia em relação a outros entes da federação. “Acontece que os estados, cada um tem a sua cronologia e o estado de Goiás é o último a subir e depois o último a descer. Enquanto, os estados tiveram o pico de morte o estado de Goiás foi o último que teve e a consolidação dos dados de óbitos demoram um pouco, por isso que aparece dessa forma, não que estejamos aumentando, na realidade neste momento não”, esclarece.

Segundo o titular da pasta, a tendência de estabilidade permanece para o mês de maio. “Deve manter sim. Dá mesma forma, que março nós imaginávamos como mês mais crítico, a segunda semana explodindo os números e a terceira semana mantendo também essa mesma tendência, e na última começando a estabilizar passando o mês de abril todo estável com a discreta tendência de queda, sendo mais perceptível em maio mesmo”, afirma.

Em relação a chegada de mais doses da vacina, o secretário pontua que existe uma expectativa para o final dessa semana, mas ainda não tem uma data e quantitativo definido pelo Ministério da Saúde.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Jornal Opção

print