China pede que EUA contenham suas forças em mares próximos

Ministério da Defesa chinês pediu nesta quinta-feira (29) que os Estados Unidos contenham suas forças de linha de frente em mares próximos neste ano. Pequim alega que essas forças estão se tornando mais ativas em mares da região asiática.

A China tem dito com frequência que uma presença militar norte-americana no Mar do Sul da China, no Mar do Leste da China e no Estreito de Taiwan é o principal fator desestabilizador na região.

Os EUA alegam ter liberdade de navegação nestas áreas, que a China considera seu quintal geoestratégico.

Desde que o presidente dos EUA, Joe Biden, tomou posse em janeiro, operações de navios de guerra norte-americanos em mares ao redor da China aumentaram 20%.

Já a atividade de aeronaves de reconhecimento norte-americanas aumentou 40% na comparação com o ano passado, disse o porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Wu Qian, em uma entrevista coletiva nesta quinta-feira (29).

“Pedimos que o lado norte-americano restrinja estritamente suas forças da linha de frente, obedeça os regulamentos, incluindo as Regras de Comportamento de Encontros Aéreos e Marítimos e os Regulamentos Internacionais para a Prevenção de Colisões no Mar, e que evite que incidentes perigosos semelhantes aconteçam novamente”, disse Wu.

No início deste mês, a Marinha dos EUA adotou a medida rara de publicar em seu principal site uma foto de um contratorpedeiro de mísseis teleguiados, o USS Mustin, observando o porta-aviões chinês Liaoning realizar um exercício.

 

Fonte: CNN

print