Goiás suspende vacinação contra Covid-19 em grávidas sem comorbidades após orientação do Ministério da Saúde

A Secretaria de Saúde de Goiás (SES) suspendeu a vacinação contra a Covid-19 em grávidas sem comorbidades após uma orientação do Ministério da Saúde. A imunização em gestantes e puéperas com doença preexistente segue sendo realizada, mas apenas com vacinas da CoronaVac e Pfizer.

A determinação vale até que sejam concluídas as análises de um caso raro de morte de uma gestante de 35 anos por causa de um acidente vascular cerebral hemorrágico (AVC) que pode ter ligação com o uso da vacina AstraZeneca.

O óbito ainda está em investigação e, segundo o governo federal, não está comprovado que a vacinação tenha causado a complicação na gestante.

O Ministério deve divulgar uma nota até o final da semana informando como será feita a aplicação da 2ª doses em gestantes que receberam a vacina da AstraZeneca.

A superintendente em Vigilância de Saúde, Flúvia Amorim, explicou que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) está analisando o caso, mas que estudos comprovam a eficácia e segurança da vacina. Os demais grupos prioritários seguem sendo imunizados com a vacina.

“Os estudos para a população em geral mostram essa segurança e eficácia. Eventos adversos podem acontecer, mas são raros. Assim como pode acontecer com qualquer medicamento. O benefício da vacina é muito maior que o risco da doença”, disse.

 

Aparecida de Goiânia

 

Aparecida de Goiânia informou, por meio de nota, que vai seguir a determinação do Ministério. A vacinação será feita apenas em grávidas e puéperas com comorbidades a partir de quinta-feira (13).

Os grupos devem agendar o atendimento por meio do aplicativo Sáude Aparecida, que só funciona para Android, ou pelo site da Prefeitura de Aparecida de Goiânia.

O município estima que há cerca de 6,5 mil gestantes e 1 mil puérperas na cidade e que serão usadas apenas doses da Pfizer para imunizar este grupo. De acordo com a prefeitura, os estoques da CoronaVac estão sendo usados apenas para a aplicação da 2ª dose.

O município informou ainda que segue vacinando com a Pfizer pessoas com comorbidades e com deficiências a partir de 50 anos. A cidade recebeu nesta quarta-feira (12), 7.020 doses do imunizante e acredita ser suficiente para atender a demanda atual.

Goiânia

 

A Secretaria Municipal de Saúde informou que, mesmo sem ter recebido um documento oficial do Ministério da Saúde, vai suspender a vacinação de gestantes e puérperas sem comorbidades, independente da vacina.

A pasta informou ainda que gestantes e puérperas com comorbidades continuam sendo vacinadas com a vacina Pfizer. Em relação ao imunizante CoronaVac, a secretaria informou que há vacinas disponíveis para a primeira dose no município.

Fonte: G1 Goiás

print