Bebê é internada em UTI após ingerir soda cáustica dentro de casa, em Anápolis

Uma bebê de 10 meses foi internada em estado grave depois de ingerir soda cáustica, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. Segundo a Polícia Civil, a mãe da menina, que tem 16 anos, contou que estava preparando o almoço quando, sem perceber, a filha encontrou o recipiente com o produto e colocou na boca. A corporação investiga se houve negligência por parte da adolescente.

O nome da mãe não foi divulgado pela autoridade policial. Portanto, o G1 não conseguiu localizar a defesa dela para que pudesse se posicionar sobre o caso.

A bebê foi levada pela adolescente à Unidade de Pronto Atendimento Pediátrico de Anápolis na noite da última quarta-feira (19). Por conta da gravidade do estado de saúde, no dia seguinte, a menina teve de ser transferida para o Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol).

Segundo o último boletim divulgado pelo hospital às 15h desta sexta-feira (21), a paciente está internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), em estado grave e respira com a ajuda de aparelhos.

De acordo com o delegado Ariel Martins, responsável pelas investigações, um inquérito foi instaurado para apurar uma possível negligência por parte da mãe da bebê, pois, segundo o investigador, ela afirmou que a criança estava sozinha e o produto estava mal acondicionado, no alcance da menina.

“Segundo o que apuramos com os médicos e com a mãe, a criança, mesmo sendo de estatura baixa, conseguiu pegar o produto químico e o derramou em seu corpo, principalmente no tórax e na boca, o que causou queimaduras. Chegando no hospital, ainda foi verificado que ela chegou a ingerir a soda cáustica”, afirmou.

 

Após o ocorrido, o Conselho Tutelar de Anápolis também começou a acompanhar o caso. Segundo o conselheiro Miqueias Duarte, a criança morava apenas com a adolescente e um amigo dela, depois que a garota resolveu sair da casa onde morava com a mãe.

“Pelo que sabemos, a família tem uma estrutura familiar bastante fragilizada. O pai, de 20 anos, não mora com a família. Há pouco tempo a adolescente morava com a mãe dela, mas disse que as duas estavam brigando muito e ela resolveu ir morar com amigos, que ela não quis explicar direito quem são”, afirmou.

 

Ainda segundo o conselheiro, o órgão decidiu por manter a bebê, enquanto ela está internada, somente em contato com o pai, até que o caso seja esclarecido pelas autoridades.

Fonte: G1 Goiás

print