Goiânia abre mais 2,9 mil consultas de graça a quem precisa de laudo de comorbidade para se vacinar contra Covid-19

A Prefeitura de Goiânia vai liberar o agendamento de mais 2,9 mil consultas de graça para pacientes que precisam pegar o laudo para comprovar alguma comorbidade para se vacinar contra a Covid-19. A marcação do atendimento pode ser feita a partir de terça-feira (25) pelo aplicativo Saúde Fácil Goiânia.

Para agendar a consulta, basta baixar o app, de graça, nas lojas de aplicativos para quem tem IOS ou Android. Após fazer o download, o paciente deve informar o número do CPF ou o do cartão Sistema Único de Saúde (SUS) e fazer o agendamento.

Com o agendamento feito, o morador deve comparecer à consulta com documento de identidade, comprovante de endereço e os exames anteriores para serem avaliados pelo médico, porque não é possível comprovar uma comorbidade apenas com uma consulta clínica. Segundo a prefeitura, sem esses documentos, o profissional não conseguirá analisar de forma segura a condição da pessoa.

Acesse aqui o laudo padrão criado pela Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) a ser preenchido, assinado e carimbado pelo médico, comprovando a comorbidade do paciente. Lembrando que, para se vacinar contra o coronavírus, a pessoa também precisa mostrar identidade e comprovante de endereço.

Na última quinta-feira (20), a prefeitura já tinha aberto 5,2 mil consultas para pessoas que precisam comprovar comorbidades. No entanto, estas vagas foram disponibilizadas apenas para agendamento das 7h às 19h pelos telefones da Central Humanizada de Orientações da Covid-19: (62) 3267-6123 (Fixo) ou (62) 3524-6305 (WhatsApp).

Vacinação suspensa

 

A vacinação contra a Covid-19 foi suspensa, nesta segunda-feira (24), pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia. Segundo o município, o motivo da interrupção é a falta de doses.

De acordo com a prefeitura, a vacinação será retomada na terça-feira (25), somente para aplicação da segunda dose em idosos acima de 76 anos que estão com datas marcadas para tomar o reforço da AstraZeneca.

Já para o restante dos grupos prioritários, a vacinação só deve ser retomada com a chegada de uma nova remessa de doses. Como os lotes são enviados pelo Ministério da Saúde primeiramente ao governo estadual e depois aos municípios, a secretaria ainda vai fazer o planejamento dos grupos contemplados.

Fonte: G1 Goiás

print