Goiás está entre os cinco estados em alerta de emergência hídrica emitido pelo governo federal

Goiás está entre os cinco estados em que o Sistema Nacional de Meteorologia (SNM) emitiu nesta semana alerta de emergência hídrica para o período de junho a setembro. Federações estão na região da Bacia do Paraná, que abrange além do estado goiano, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná, informou o Ministério da Agricultura.

O comitê responsável pelo monitoramento do setor elétrico, o CMSE, esteve reunido na última quinta-feira, 27, para avaliar a situação do sistema energético, constatando que a situação é delicada. Dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), que faz a gestão do sistema, apontam que o volume de chuva se manteve baixo do normal em maio, e o país entra no período seco em situação delicada no que se refere a oferta de água. As regiões Sudeste e Centro-Oeste serão as mais afetadas com a seca neste ano.

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM) apresentou nesta semana uma sequência de medidas que serão adotadas para enfrentamento do período de seca deste ano. As ações visam preservar as bacias hidrográficas do Rio Meia Ponte, na Grande Goiânia, e do Ribeirão Piancó, no município de Anápolis. O decreto será utilizado como instrumento para regulamentar as ações adotadas pelo Governo de Goiás nos próximos meses.

O documento deve vigorar até o fim do período de seca e, consequente, retorno das chuvas. O objetivo é garantir o uso prioritário da água para os usuários. Com a medida, a captação de água nessas bacias será restringida para atividade agropecuária, industrial, comercial, de lazer e outros usos, de modo a priorizar o consumo humano e a dessedentação de animais.

A secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Andréa Vulcanis, disse que em 2021 o estado atravessa o nível de “atenção” e conta com uma “disponibilidade menor do que a média”, porém, ainda “preparado”.  Assegurando ainda que, apesar do “cenário mais crítico”, o uso negociado e 25 barragens com a Semad garante uma segurança hídrica consistente para o ano de 2021. “Atravessamos um período seco e a ajuda de todos será fundamental para que possamos superar esse momento”, avaliou.

 

Fonte: Jornal Opção

print