Deputado do PT pede a Doria que proíba jogos da Copa América em SP

O deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP), ex-ministro na Saúde durante o governo Dilma Rousseff, encaminhou, nesta segunda-feira (31/5), um ofício ao governador de São Paulo, João Doria (PSDB), para que proíba a realização de jogos da Copa América no estado.

Padilha criticou a autorização do governo federal para transferência de sede da competição quando o país vive a iminência de uma nova onda de crescimento de casos e óbitos pela Covid-19. “Não podemos aceitar mais um capítulo mortal do negacionismo de Bolsonaro”, justificou o parlamentar em seu Twitter.

Ainda nesta tarde, o deputado federal Júlio Delgado (PDB-MG) anunciou que acionará o Supremo Tribunal Federal (STF) contra a realização do torneio em solo nacional.

Também pelo Twitter, Delgado classificou a transferência de sede para o país como “um absurdo”. “Estou entrando na Justiça contra a realização da Copa América no Brasil. Um absurdo!”, publicou.

“Campeonato da morte”

No Senado Federal, o anúncio de transferência da sede do torneio também repercutiu negativamente. Relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) chamou a Copa América de “campeonato da morte”.

Calheiros comparou a agilidade do governo brasileiro para responder às solicitações da Conmebol, organizadora do torneio, com a velocidade empregada pelo Executivo para discutir e avaliar ofertas de vacinas.

“Sindicato de negacionistas: governo, Conmebol e CBF [Confederação Brasileira de Futebol]. As ofertas de vacinas mofaram em gavetas, mas o ok para o torneio foi ágil. Escárnio”, publicou o senador.

Mais cedo, o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) também usou o Twitter para criticar a realização da competição em território nacional. “Bolsonaro quer promover a Copa América no Brasil, justo quando caminhamos para uma 3ª onda”, disse.

“Bolsonaro é ‘imbroxável’ na sua sabotagem à saúde dos brasileiros: foi sua negligência na vacinação que privou o povo do futebol”, completou.

As críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ocorrem após a Conmebol anunciar a mudança de sede do torneio e fazendo agradecimentos diretos ao mandatário do país por viabilizar a possibilidade.

A Copa América seria realizada em 2020, em estádios da Colômbia e da Argentina. No entanto, foi adiada para 2021 e viu os países sedes desistirem de abrigar a competição em decorrência de crises políticas e do agravamento da pandemia do novo coronavírus.

 

Fonte: Metrópoles

print