O que muda no Google Fotos com o fim do armazenamento ilimitado?

A partir da terça-feira (1º), o Google fotos não oferecerá mais o serviço de armazenamento ilimitado de imagens e vídeos. Agora, arquivos em alta definição ou na qualidade original ocuparão parte do espaço de 15 GB oferecido pela plataforma – capacidade dividida entre os principais serviços Google, como Drive, Gmail e Fotos.

A nova regra aplica-se aos arquivos inseridos a partir do mês de junho. Ou seja, fotos e vídeos que já estão salvos nas contas não devem ser excluídos ou ocupar espaço extra. Na prática, a mudança deve impactar principalmente pessoas que costumam salvar arquivos em alta qualidade. Isso porque esse formato deve compartilhar o espaço – já determinado em 15 GB – com arquivos redimensionados do backup básico.

Apesar disso, a empresa estima que mais de 80% dos usuários, que utilizam a plataforma apenas para o arquivo de memórias, devem contar com cerca de 3 anos de capacidade para armazenamento gratuito até que o limite se esgote. O Google também anunciou que imagens feitas em dispositivos Pixel – a linha de smartphones da companhia – não perderão os atuais benefícios. A isenção se aplica aos aparelhos de qualquer geração da marca.

Ao completar o espaço disponível, restará a opção de excluir arquivos ou assinar o serviço Google One, que disponibiliza mais 100 GB de armazenamento por R$ 6,99 ao mês, no plano mais simples. Para facilitar a transição, o Google disponibilizará um novo campo de gerenciamento de imagens, vídeos e backup, o que oferece maior controle sobre o espaço utilizado e as autorizações automáticas de download e compactação.

 

Fonte: CNN

print