Sem máscara, Bolsonaro cumpre agenda em Anápolis e defende tratamento precoce contra a Covid-19

Sem máscara e provocando aglomeração, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) cumpre agenda nesta terça-feira, 09, em Anápolis. A visita foi articulada pelo deputado federal major Vitor Hugo (PSL), que é ventilado como um possível candidato ao governo de Goiás, em 2022. Além de Vitor Hugo, Bolsonaro está acompanhado do ministro Onyx Lorenzoni, do filho e vereador do Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro.

Ao chegar na cidade, ainda no aeroporto o presidente participou do lançamento da Federação das Associações Empreendedoras, Comerciais, Industriais, de Serviços, de Tecnologia, de Turismo e do Terceiro Setor do Estado de Goiás (Faciest). Em seguida, Bolsonaro participou de reunião com empresários e políticos em uma sala da igreja Church In Connection e, posteriormente, de um culto. Mais cedo, o líder do Executivo Federal almoçou com Amado Batista.

A Prefeitura de Anápolis emitiu uma notificação à igreja evangélica Church in Connection para que fossem seguidos todos os protocolos de segurança em saúde, evitando, assim, a disseminação do coronavírus durante o culto. O evento contou com a presença do presidente e de cerca de 230 pessoas.

Durante discurso na igreja Church In Connection, Jair Bolsonaro voltou a defender o tratamento precoce contra Covid-19, um conjunto de medidas sem comprovação científica que inclui o uso de Cloroquina e a Ivermectina. “Podemos buscar maneira de diminuir drasticamente o número de mortes no Brasil pelo tratamento precoce. Esse vírus nasceu de animal ou laboratório? Eu tenho na minha cabeça de onde ele veio”.

O presidente ainda voltou a dizer que houve fraude nas eleições de 2018, o que impediu sua vitória no primeiro turno. “Eu fui eleito no primeiro turno. Tenho provas materiais disso. Mas o sistema, a fraude – que existiu, sim – me jogou no segundo turno”.

Na saída, o presidente cumprimentou cerca de 40 apoiadores, sem máscara e ignorou todas as medidas de segurança de saúde. A agenda foi encerrada aos gritos de “mito” e “fora PT” por parte de populares.

Fonte: Jornal Opção
print