Venda de Gerson é mais um capítulo no desmanche do Fla supercampeão

Com a sua venda anunciada nessa quarta (9/6) para o Olimpyque de Marselha, da França, Gerson entra na história do clube como um dos torcedores que se tornaram ídolos no clube do coração. Sua venda, no entanto, também indicam o lento desmanche do super-time do Flamengo.

Gerson chegou como um dos reforços solicitados pelo treinador Jorge Jesus. Antes dele, Pablo Marí e Rafinha já haviam chegado ao clube da Gávea. Luís Filipe foi o último a integrar o esquadrão que marcaria para sempre o futebol brasileiro e a história do Flamengo.

Sob o comando de Jorge Jesus, a equipe bateria recordes no Campeonato Brasileiro, além de tirar o grito de campeão da Libertadores da garganta da Nação após 38 anos de espera.

No entanto, apesar de sua força financeira, qualidade técnica e infraestrutura exemplar, o time vê aos poucos peças importantes do elenco dando adeus ao clube rumo à Europa.

Nem mesmo o Mengão escapa do desmanche

Mesmo pertencendo à elite do futebol brasileiro, tecnicamente e financeiramente falando, nem mesmo o Flamengo se vê livre de perder suas peças mais importantes. Fatores como a desvalorização do real e a pandemia do coronavírus impulsionaram a saída de de peças importantes do plantel.

Apesar de um protagonismo menor nas campanhas, Reinier deixou a Gávea rumo à Europa. O jovem de apenas 19 anos de idade foi vendido ao Real Madrid por 25 milhões de euros. O atacante não se firmou no clube espanhol e atualmente briga por titularidade no Borussia Dortmund, onde cumpre empréstimo.

Em julho do ano passado, a primeira grande peça da campanha avassaladora deu adeus à Gávea. Antes mesmo de completar a segunda temporada pelo Rubro-Negro, Pablo Marí acabou sendo vendido para o Arsenal, da Inglaterra, por 1,8 milhão de euros.

Pouco tempo depois, foi a vez de outra figura central no domínio flamenguista dar adeus. Depois de uma longa novela, com muitos rumores e uma renovação de contrato, Jorge Jesus acabou confirmando sua ida para o Benfica, de Portugal.

Já Rafinha foi o segundo titular a ir embora. O lateral acabou deixando o clube em agosto do ano passado para integrar o Olympiakos, da Grécia, por 2,4 milhões de euros. Apesar do título grego, o time rescindiu com o atleta que no início deste ano acabou voltando para o Brasil.

Diferente do que muitos imaginaram, Rafinha não voltou ao Fla, e acabou desembarcando em Porto Alegre para jogar pelo Grêmio. E já conquistou o Campeonato Gaúcho de 2021 vestindo a camisa do tricolor.

Gerson marca a quarta saída de um titular do time que dominou o Brasil e conquistou a América do Sul. Cotado para integrar a Seleção Brasileira, o meia já atua pela equipe Olímpica.

Nomes como o de Gabigol, Arrascaeta e Éverton Ribeiro ainda geram rumores de possíveis saídas. A nação Rubro-Negra segue aflita vendo, mesmo que de maneira lenta, a saída de jogadores que marcaram uma geração campeã.

 

Fonte: Metrópoles

print