Moradores fazem comida para policiais, informam wi-fi e ajudam nas buscas por Lázaro, em Goiás

Os moradores dos distritos goianos de Edilândia e Girassol, na cidade de Cocalzinho de Goiás, se uniram para fornecer internet, comida, água e até cadeiras para momentos de descanso para as forças de segurança que estão em busca de Lázaro Barbosa, de 32 anos, suspeito de matar uma família em Ceilândia.

“A gente faz questão de ajudar. Não é uma obrigação, mas é uma forma de ajudar”, disse o pedreiro Edimar Moura da Silva, de 55 anos.

 

Ele disponibilizou sinal de internet para policiais e também jornalistas que fazem a cobertura do caso, em Girassol, onde está montada a base de comando da operação.

A cerca de 15 km de distância, em Edilândia, um comércio colocou uma placa com a rede e senha da internet de maneira gratuita, também para ajudar todas as equipes.

O sinal de telefone e internet na região é precário e dificulta até mesmo o trabalho de comunicação entre os policiais que estão em operação.

Voluntários preparam lanches e marmitas para policias que trabalham há oito dias em busca de Lázaro Barbosa, em Cocalzinho de Goiás — Foto: Jonathan Moreira/TV Anhanguera

Voluntários preparam lanches e marmitas para policias que trabalham há oito dias em busca de Lázaro Barbosa, em Cocalzinho de Goiás — Foto: Jonathan Moreira/TV Anhanguera

Em uma paróquia, cerca de 15 voluntários prepararam lanches e refeições para as equipes, que se revezam há oito dias em busca do foragido. A ideia partiu da técnica de enfermagem Priscila Moraes, de 31 anos, que tem mobilizado outros moradores para doar alimentos e ajudar na cozinha.

“A gente teve a ideia depois de ouvir de um major que eles estavam motivados, mas com fome. Os policiais estão trabalhando muito. A cidade é pequena e não tem estrutura. Foi quando começamos a pedir doações”, disse.

 

Os voluntários estão dando este apoio aos agentes desde a última segunda-feira (14). Os pedidos de doações feitos por meio de um grupo em um aplicativo de mensagens ultrapassaram limites, chegando a moradores de outras cidades.

Mesa com lanches para os policias que trabalham em busca de suspeito de matar família em Ceilândia — Foto: Jonathan Moreira/TV Anhanguera

Mesa com lanches para os policias que trabalham em busca de suspeito de matar família em Ceilândia — Foto: Jonathan Moreira/TV Anhanguera

Desde então, cerca de 200 marmitas de galinhada estão sendo distribuídas no almoço e janta. Uma mesa com frutas também foi montada na paróquia.

“Tudo está sendo feito com doação. População de Águas Lindas, Anápolis e até moradores de Brasília estão ajudando. É muito gratificante poder ajudar. Eles [policias] estão de peito aberto dando a vida por todos nós”.

 

A solidariedade foi reconhecida pelo secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda. “Temos todo o suporte do governo do estado, mas temos esse apoio também dos moradores. Temos recebido um carinho da população”, afirmou.

Ajuda nas buscas

 

Os policias também recebem ajuda da população por meio de mensagens de aplicativo. A Secretaria de Segurança Pública informou que os agentes estão visitando as casas e fazendas e trocando telefone com os moradores.

Foi assim que uma adolescente de 16 anos conseguiu avisar os agentes que o suspeito havia invadido sua casa e fazia seus pais reféns, na tarde de terça-feira (15). Miranda informou que ela se escondeu em quarto e conseguiu pedir socorro antes de ser levada para o mato.

“Socorro, Lázaro está aqui em casa”, diz o texto enviado pouco antes de ser levada para o mato.

 

Foi a mensagem que fez com que a família fosse resgatada sem ferimentos. Após a chegada dos policiais, ele fugiu novamente e segue sendo procurado pela força-tarefa.

Fotos de Lázaro Barbosa divulgadas pela Polícia Civil — Foto: Montagem G1

Fotos de Lázaro Barbosa divulgadas pela Polícia Civil — Foto: Montagem G1

A fuga

 

Lázaro Barbosa está fugindo de uma força-tarefa de mais de 200 policiais há oito dias pela região goiana que fica no Entorno do Distrito Federal. Leia mais abaixo detalhes sobre a fuga.

A polícia usa cães, drones e helicópteros na captura ao suspeito. Trinta e quatro propriedades rurais em Goiás estão ocupadas pelas forças de segurança para evitar ação do homem.

Os homicídios contra a família do DF foram cometidos na quarta-feira (9). Ele é suspeito de assaltar a fazenda e matar a tiros e a facadas os integrantes da família:

  • Cláudio Vidal, de 48 anos – pai e empresário;
  • Gustavo Vidal, de 21 anos – filho do casal;
  • Carlos Eduardo Vidal, de 15 anos – filho do casal;

 

Cleonice Marques de Andrade, de 43 anos – a mulher do empresário foi sequestrada e morta. O corpo foi achado no sábado (12), em uma mata próxima à casa da família.

De acordo com a Polícia Militar, ele invadiu chácaras, atirou em três pessoas, sendo uma em estado grave, furtou um carro e o abandonou na BR-070.

Os policiais de Goiás e do Distrito Federal (DF) procuram o suspeito dentro de rios e em matas.

34 propriedades rurais em Goiás estão ocupadas pelas forças de segurança para evitar ação de Lázaro Barbosa, suspeito de uma chacina no DF — Foto: TV Globo / Reprodução

34 propriedades rurais em Goiás estão ocupadas pelas forças de segurança para evitar ação de Lázaro Barbosa, suspeito de uma chacina no DF — Foto: TV Globo / Reprodução

De acordo com o porta-voz da polícia do DF, Michello Bueno, ele conhece bem a região e que, por ser caçador, se esconde com facilidade.

“Ele foi criado nessa região. Conhece cada detalhe. Além disso, ele é um caçador. Então, ele se esconde, dorme em cima das árvores. É um cara que tem uma expertise. Não é um bandido comum”, disse o porta-voz.

 

Imagens de uma câmera de vigilância, divulgadas na terça, mostraram o suspeito se escondendo da polícia em um galpão de uma chácara em Cocalzinho de Goiás. Testemunhas relataram que ele dormiu no local e não ameaçou ninguém.

Linha do tempo da fuga de Lázaro:

 

Após cometer o crime contra a família no DF, o suspeito deu início à fuga:

  • Na sexta-feira (11), ele roubou um veículo e fugiu para Cocalzinho de Goiás. Depois colocou fogo no carro;
  • No sábado (12), invadiu uma fazenda, atirou em três pessoas e colocou fogo em uma casa. Nesta ocasião, fez um caseiro refém, usou e obrigou a vítima a usar drogas;
  • No domingo (13), o suspeitou furtou um carro para fugir da polícia, foi visto na BR-070 e acabou abandonando o veículo. A corporação acredita que ele tentava retornar ao DF;
  • Na segunda-feira (14), ele foi filmado por câmeras de monitoramento e teria dormido em um galpão de uma chácara. Pediu comida aos moradores, mas fugiu;
  • Na terça-feira (15), uma moradora de uma fazenda filmou os policiais durante buscas em sua propriedade. Segundo as imagens, Lázaro passou por lá durante a fuga. Mais tarde, ele sequestrou uma família em outra chácara (foram liberados sem ferimentos) e atirou em dois policiais, que foram atingidos de raspão, eles foram levados para hospitais e estão conscientes.

 

Séries de crimes entre 2018 e 2021:

 

  • 8 março de 2018: Lázaro Barbosa foi preso em Águas Lindas de Goiás após 3 mandados de prisão por homicídio qualificado porte ilegal de arma de fogo, roubo e estupro, mas fugiu em 23 de julho e estava foragido;
  • Foi condenado por um homicídio na Bahia (sem data informada);
  • Lázaro era procurado por por crimes de roubo, estupro e porte ilegal de arma de fogo no DF e em chácaras de Goiás;
  • 8 de abril de 2020: À época, o suspeito foi indiciado pelos crimes de roubo mediante restrição da liberdade das vítimas e emprego de arma branca e por tentativa de latrocínio. Ele invadiu uma chácara em Santo Antônio do Descoberto, em Goiás, e golpeou um idoso com um machado;
  • 26 de abril de 2021: Ele é suspeito de invadir uma casa no Sol Nascente (DF), quando trancou pai e filho no quarto e levou a mulher para o matagal, onde a estuprou;
  • 17 de maio de 2021: Segundo a polícia, ele fez uma família refém na mesma região ameaçando as vítimas com faca e arma de fogo. Nesse crime, ele mandou as pessoas ficarem nuas e, das 19h até meia-noite, prendeu os homens no quarto e as mulheres ficaram servindo jantar para ele;
  • 9 de junho de 2021: Lázaro é suspeito de invadir uma chácara no Incra 9, em Ceilândia (DF), onde matou a tiros e a facadas um casal e dois filhos;
  • 9 de junho de 2021: Roubou uma chácara em Ceilândia após o assassinato da família. Ele teria rendido o caseiro, o dono da propriedade e a filha dele;
  • 12 de junho de 2021: Lázaro fugiu para Cocalzinho de Goiás logo em seguida. Ele atirou em quatro pessoas, invadiu fazendas e colocou fogo em uma casa ao fugir da polícia;
  • 13 de junho de 2021: Furtou um carro e o abandonou na BR-070 dando sequência à fuga para uma mata.

 

Fonte: G1 

print