Lázaro Barbosa fugiu pelo teto da cela da cadeia de Águas Lindas de Goiás e foi o único a não ser recapturado, em 2018

Lázaro Barbosa, de 32 anos, suspeito de fazer uma chacina em Ceilândia, no Distrito Federal, fugiu pelo teto da cela da cadeia de Águas Lindas de Goiás, em julho de 2018, e foi o único a não ser recapturado de um grupo de cinco presos que tentaram fugir pelo mesmo local.

A polícia sentiu falta do suspeito após a contagem dos recapturados após a tentativa de fuga.

“Aproximadamente às 2h da manhã, os presos da cela ADM02 tentaram fuga pelo teto da cela. O agente que se encontrava na guarita percebeu a fuga e efetuou disparos contendo a fuga em massa. Após conferencia nominal, verificaram que apenas um preso havia foragido, se tratando da pessoa de Lázaro Barbosa Souza”, diz trecho do boletim de ocorrência registrado à época.

 

Os policias penais recapturaram quatro detentos que estavam entre os muros da cadeia. Um deles estava no buraco tentando fugir. Os outros foram controlados na cela. Para abrir a brecha, os presos danificaram o local quebrando telhas e o forro do teto.

Telhas quebradas durante a fuga de Lázaro Barbosa da cadeia de Águas Lindas de Goiás — Foto: Reprodução/Polícia Militar

Telhas quebradas durante a fuga de Lázaro Barbosa da cadeia de Águas Lindas de Goiás — Foto: Reprodução/Polícia Militar

Como foi a prisão de Lázaro

 

Ele foi preso em 7 de março de 2018, em Águas Lindas. Segundo relatos da Polícia Militar, Lázaro Barbosa estava na rua próximo a uma padaria, no bairro Águas Bonitas 1.

Ele resistiu à abordagem policial e tentou fugir, mas foi alcançado pela viatura. Como estava sem documentos, foi levado para a delegacia onde foram descobertos os mandados de prisão em aberto.

A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) informou que em 2018, quando foi preso, “ele [Lázaro Barbosa] tinha três mandados de prisão por homicídio qualificado, porte ilegal de arma de fogo, roubo e estupro”.

A fuga da cadeia aconteceu no dia 23 de julho.

Foto recente de Lázaro Barbosa enviada pela Polícia Civil — Foto: Reprodução TV Anhanguera

Foto recente de Lázaro Barbosa enviada pela Polícia Civil — Foto: Reprodução TV Anhanguera

Após primeira fuga

 

Após fugir do presídio, a Polícia Militar iniciou uma série de buscas pela região. Lázaro foi encontrado novamente em 31 de julho, no setor de chácaras Quintas das Águas Bonitas, em Águas Lindas.

Ele estava em uma moto e voltou a fugir após avistar viaturas da polícia, conforme o boletim de ocorrência da época. Na perseguição, ele perdeu o controle e caiu, mas ainda conseguiu trocar tiros com policiais do Grupo de Patrulhamento Tático (GPT) e fugiu para dentro de uma chácara.

Um helicóptero auxiliou nas buscas pelas matas, mas ele não foi encontrado.

Crime no DF e nova fuga:

 

O suspeito estava desaparecido até cometer a chacina contra uma família de Ceilândia, no Distrito Federal, em 9 de junho, segundo a polícia.

Ele é suspeito de assaltar a fazenda e matar a tiros e a facadas os integrantes da família:

  • Cláudio Vidal, de 48 anos – pai e empresário;
  • Gustavo Vidal, de 21 anos – filho do casal;
  • Carlos Eduardo Vidal, de 15 anos – filho do casal;
  • Cleonice Marques de Andrade, de 43 anos – a mulher do empresário foi sequestrada e morta. O corpo foi achado no sábado (12), em uma mata próxima à casa da família.

 

Cleonice Marques de Andrade, de 43 anos, está desaparecida — Foto: TV Globo / Reprodução

Cleonice Marques de Andrade, de 43 anos, está desaparecida — Foto: TV Globo / Reprodução

Após os crimes no DF, ele fugiu para Cocalzinho de Goiás no dia seguinte e segue numa série de crimes enquanto escapa de mais de 200 policiais pelas matas dos povoados de Edilândia e Girassol.

De acordo com a Polícia Militar, ele invadiu chácaras, atirou em três pessoas, das quais duas estão em estado grave, furtou um carro e o abandonou na BR-070.

Policiais continuam buscas por Lázaro Barbosa na noite desta quarta-feira, em Cocalzinho de Goiás — Foto: Vitor Santana/G1 Goiás

Policiais continuam buscas por Lázaro Barbosa na noite desta quarta-feira, em Cocalzinho de Goiás — Foto: Vitor Santana/G1 Goiás

Linha do tempo:

 

  • Na sexta-feira (11), ele roubou um veículo e fugiu para Cocalzinho de Goiás. Depois colocou fogo no carro;
  • No sábado (12), invadiu uma fazenda, atirou em três pessoas e colocou fogo em uma casa. Nesta ocasião, fez um caseiro refém, usou e obrigou a vítima a usar drogas;
  • No domingo (13), o suspeitou furtou um carro para fugir da polícia, foi visto na BR-070 e acabou abandonando o veículo. A corporação acredita que ele tentava retornar ao DF;
  • Na segunda-feira (14), ele foi filmado por câmeras de monitoramento e teria dormido em um galpão de uma chácara. Pediu comida aos moradores, mas fugiu;
  • Na terça-feira (15), uma moradora de uma fazenda filmou os policiais durante buscas em sua propriedade. Segundo as imagens, Lázaro passou por lá durante a fuga. Mais tarde, ele sequestrou uma família em outra chácara (foram liberados sem ferimentos) e atirou em dois policiais, que foram atingidos de raspão, eles foram levados para hospitais e estão conscientes.
  • Na quarta-feira (16), Lázaro Barbosa foi visto por um morador em uma área rural;
  • Na quinta-feira (17), a polícia retomou as buscas em matas da região e mudou a base de operação pela segunda vez. A Força Nacional começou a atuar nas buscas.

 

Fonte: G1 Goiás

print