Após briga generalizada, delegação do Boca passa noite em delegacia

O Boca Juniors não digeriu bem a eliminação na Libertadores para o Atlético-MG.

Se dentro de campo os ânimos já estavam exaltados, foi após o apito final que a confusão generalizada tomou proporções maiores e virou caso de polícia.

Tanto que delegação do time argentino passou a madrugada na delegacia dando depoimentos. Na confusão, oito pessoas ligadas ao Boca foram identificados e acusados de agressão e dano ao patrimônio.

Dentro dos túneis que dá acessos aos vestiários, membros da comissão técnica e jogadores do Azul y Oro depredaram o patrimônio do Galo. O atacante Sebastian Villa foi identificado jogando um bebedouro e os zagueiros Marcos Rojo e Carlos Izquierdo deram socos em segurança que tentava separar a briga.

A confusão só foi encerrada após os policiais militares utilizarem spray de pimenta.

A principal reclamação foi um gol anulado aos 16 minutos da segunda etapa. Na ocasião, o árbitro Esteban Ostojich, com a ajuda do VAR, anulou o gol de Weingandt, assinalando impedimetno de Diego González no início da jogada.

 

Fonte: Metrópoles

print