Richarlison marca três, Alemanha assusta, mas Brasil estreia com vitória nas Olimpíadas

Em partida que abre a participação do futebol masculino brasileiro na Olimpíadas de Tóquio, Brasil e Alemanha se enfrentam na reedição da final da Rio 2016, vencida pelos brasileiros. Após um primeiro tempo de muita intensidade e brilho de Richarlison, a Seleção Canarinho levou um susto após dois gols alemães, mas Paulinho, no último minuto, deu alívio e fechou o placar em 4×2.

O estádio é o mesmo em que a seleção canarinho venceu o penta da Copa do Mundo, em 2002.

O Brasil começou a mil por hora e já obrigava o goleiro Muller a trabalhar. Logo aos quatro minutos, ele precisou fazer boa defesa em chute forte de Matheus Cunha. O arqueiro precisou fazer boa defesa para evitar o primeiro gol brasileiro.

Muito ligada e atenta ao jogo, não demorou muito para a seleção canarinho mostrar a que veio. Após bom passe de Antony, Richarlison tentou duas vezes para colocar o Brasil a frente no placar. Na primeira, o camisa dez parou no guarda redes adversários. Mas, no rebote, o Pombo não teve muitas dificuldades para alterar o marcador.

Com muita intensidade, os detentores da medalha de ouro acoavam os europeus. Após inaugurar o placar, o jogador do Everton, da Inglaterra, continuava pressionando os marcadores e por pouco não aumentou o placar. Ele aproveitou falha de Pieper em recuada para Muller, interceptou o passe e tentou driblar o goleiro, mas acaba travado. O camisa um alemão ainda defendeu o chute de Claudinho, que aproveitou a sobra.

O Pombo estava impossível. O craque brasileiro aumentou a vantagem. Guilherme Arana recebeu grande passe de Bruno Guimarães em profundidade e cruzou, na medida, para o atacante brasileiro testar para o fundo das redes e marcar um bonito gol.

O primeiro lance de perigo da Alemanha foi aos 25 minutos. Amiri recebeu passe dentro da área, tirou Dani Alves e chutou para o gol. O tiro saiu fraco e ficou fácil para a defesa de Santos, que não teve trabalho para defender.

Richarlison estava impossível. Em alto nível, ele chegou ao hat-trick ainda no primeiro tempo em um lindo chute cruzado e cheio de efeito. Matheus Cunha aciona o camisa dez na ponta esquerda. Ele acelera, passa pelo marcador, puxa para a perna direita e tirar de Muller, que nada pode fazer. Um golaço do Brasil para fazer o terceiro.

Com o jogo controlado e confortável no jogo, os brasileiros tiraram o pé e só administravam a vantagem. Com isso, a Alemanha passou a tocar mais a bola e tentava diminuir o prejuízo, porém sem sucesso.

O roteiro da partida preparava uma goleada verde e amarela, que chegou quase chegou ao quarto gol ao final da primeira etapa. Após confusão na área, a bola bateu na mão de Henrichs e o juiz marcou pênalti. Matheus Cunha foi para cobrança, mas Muller, muito bem, fez uma grande defesa.

No último lance, o camisa nove teve outra boa chance, mas a bola passou rente a trave, saindo em linha de fundo.

O segundo tempo começou como terminou o primeiro. O Brasil deixando a Alemanha jogar, mas sem sofre perigos, e ia administrando o jogo. Tanto que a primeira jogada de perigo foi dos brasileiros. Aos seis minutos de jogo, Matheus cunha recebeu a bola dentro da área e chutou forte para o gol. Porém, a bola foi no centro do gol e Muller não precisou de muito para fazer a defesa.

O panorama do jogo mudou as onze minutos. Após rebatida na zaga, a bola se ofereceu para Amiri que, de fora da área, chutou para o gol. Santos, que pouco havia trabalhado, falhou feio na jogada e permitiu o gol dos alemães.

Após o gol tomado, o Brasil tentou impedir a reação dos adversários, porém parou no goleiro Muller. A boa notícia veio aos 17 minutos, quando Arnold cometeu falta em Daniel Alves. O camisa oito já tinha cartão e foi expulso de campo.

Com um a mais, o jogo caiu em intensidade e Jardine começou a rodar o time. O técnico brasileiro tirou o astro do jogo, Richarlison, Claudinho e Antony, os substituindo por Malcom, Paulinho e Reinier.

As mudanças surtiram efeito e a seleção verde e amarela quase marcou aos 29 minutos. Pressionando em cima, Matheus Cunha roubou a bola e rolou para Bruno Guimarães. O camisa oito chutou e Muller praticou mais uma defesa.

Com alguns lampejos de boas jogadas, com essa narrada acima, o Brasil seguiu permitindo o toque de bola da Alemanha. E, mesmo com um a menos, eles conseguiram diminuir o placar. Após cruzamento de Raum, Ache subiu, no meio da marcação, e marcou mais um, deixando a desvantagem em apenas um gol.

O alívio só veio nos minutos finais, já nos acréscimos. Paulinho recebeu excelente passe de Bruno Guimarães em profundida, acelerou a jogada, cortou para o meio e marcou um golaço para fechar a conta e matar o jogo em 4×2.

O Brasil volta a campo no próximo domingo, 25/7, contra a Costa do Marfim, no mesmo estádio. Os africanos venceram a Arábia Saudita na abertura do grupo por 2×1 e seguem na segunda posição.

Escalação Brasil: Santos; Daniel Alves, Nino, Diego Carlos e Guilherme Arana; Bruno Guimarães, Douglas Luiz, Antony (Paulinho), Claudinho (Malcom); Matheus Cunha e Richarlison (Reinier). Técnico: André Jardine.

Escalação Alemanha: Muller; Henrichs, Pieper (Torunarigha), Uduokhai, Raum, Maier, Arnold, Amiri, Stach; Richter (Ache) e Kruse (Löwen). Técnico: Stefan Kuntz

Gols: Richarlison, aos oito, aos 21 e a os 34 minutos do primeiro tempo.

Cartões Amarelos: Pieper, Arnold, Stach, Uduokhai e Henrichs (Alemanha); Douglas Luiz (Brasil)
Cartão Vermelho: Arnold.

Local: Yokohama, Japão.

 

Fonte: Metrópoles

print