‘Barcelona está acima do melhor jogador do mundo’, diz presidente do clube

O presidente do Barcelona, Joan Laporta, disse nesta sexta-feira (6) que o clube não conseguiu recontratar Lionel Messi, pois não tinha margem em termos de condições salariais de acordo com as regras de Fair Play Financeiro da Liga. Segundo o presidente, as finanças do clube devem estar acima dos contratados, inclusive do “melhor jogador do mundo”.

O Barcelona informou nesta quinta-feira (5) que não renovou o contrato com o jogador argentino Lionel Messi, um dos principais nomes do clube.

Laporta disse que o clube e Messi queriam assinar um novo contrato, mas os salários já representam 110% do faturamento do clube, o que significa que está gastando muito mais do que o esperado e tal mudança seria financeiramente arriscada.

“O clube está acima de tudo – acima mesmo do melhor jogador do mundo”, disse Laporta em entrevista coletiva.

Em comunicado oficial na quinta, o clube espanhol afirmou que chegou a um acordo com o argentino, mas “obstáculos estruturais” do regulamento da La Liga impedem a permanência de Messi.

“Ambas as partes lamentam profundamente que os desejos do jogador e do clube não possam ser finalmente atendidos”, diz o documento. “O Barça agradece de todo o coração ao jogador à sua contribuição para a valorização da instituição e deseja-lhe o melhor na sua vida pessoal e profissional”, conclui.

Messi está sem clube desde 30 de junho, quando seu último contrato com o Barcelona se encerrou. Desde então, a imprensa europeia especula a saída do jogador para times como Manchester City, da Inglaterra, e Paris Saint-Germain, da França.

Messi fez história

Maior jogador da história do clube, o argentino de 34 anos tem incríveis 672 gols em 778 jogos, além de 305 assistências. Pelo Barcelona, conquistou 4 vezes a Champions League, 10 vezes a La Liga e 7 vezes a Copa del Rey, e levou seis vezes a Bola de Ouro, prêmio dado do melhor jogador do mundo.

Na última temporada, o Barcelona foi eliminado nas oitavas de final da competição europeia para o PSG e terminou em terceiro no campeonato espanhol. O clube espanhol teve sucesso somente na copa da Espanha, vencendo o Athletic Bilbao por 4×0, com grande atuação do argentino.

Messi chegou ao Barcelona com apenas 13 anos, vindo das categorias de base do Newell’s Old Boys, seu clube do coração. Com apenas 17 anos, o craque estreou pelo clube, jogando ao lado de outros grandes jogadores, como Ronaldinho Gaúcho, Eto’o e Xavi.

A relação entre o jogador e o clube piorou no ano passado, quando Messi manifestou ao presidente Josep Maria Bartomeu sua vontade de sair ao fim da temporada 2019/20, quando seu contrato expirou. Em entrevista exclusiva ao portal “Goal.com”, o argentino contou que o mandatário se aproveitou da situação da pandemia para manter o vínculo contratual em vigência.

“Vou continuar no clube porque o presidente disse que a única maneira de eu sair é pagando a cláusula de 700 milhões de euros, o que é impossível, e que a outra maneira seria acionar a Justiça. Eu não iria à Justiça contra o Barça nunca porque é o clube que amo, que me deu tudo desde que cheguei aqui, é o clube da minha vida, fiz minha vida aqui, o Barça me deu tudo e eu dei tudo pelo Barça, jamais passou pela minha cabeça levar isso à Justiça”, disse em entrevista.

 

Fonte: CNN

print