Calor em Goiás deve ser intenso e termômetros podem marcar 35ºC nesta segunda (22)

O calor em Goiás deve ser intenso e os termômetros podem marcar 35ºC nesta segunda (22). Segundo boletim meteorológico do Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas de Goiás, o Cimehgo, a previsão é de temperaturas máximas elevadas e umidade relativa do ar baixa. Conforme o órgão, a umidade do ar deve ficar abaixo de 20%, com registro de névoa seca e céu claro pela manhã.

Em Goiânia, deve haver céu claro, temperaturas amenas pela manhã e elevadas no período da tarde. A temperatura máxima é 32ºC e a mínima, 16ºC. A umidade relativa do ar, por sua vez, deve registrar declínio no período da tarde, com índice na casa dos 18%.

Em municípios como Rubiataba, Ceres e Santa Helena a previsão é de máxima de 33ºC. Já em Porangatu, ela é de 35ºC.

De acordo com o boletim, a massa de ar seco e quente mantém o tempo estável com céu claro, temperaturas máximas elevadas e a umidade relativa do ar em declínio no período da tarde, com índices abaixo dos 30%.

“A névoa seca é outro fenômeno recorrente neste período do ano, trazendo o aspecto acinzentado com tons avermelhados ao observar o céu devido aos vários poluentes como a poeira, fumaça e outros acumulados na atmosfera”, explicou o Cimehgo.

Calor em Goiás deve ser sentido ao longo da semana

Ainda de acordo com o Cimehgo, as altas temperaturas no estado devem ser sentidas ao longo semana. A previsão é de tempo estável com sol. “O destaque fica para a temperatura máxima elevada e a umidade relativa do ar que segue em declínio no período da tarde”, prevê a metereologia.

Algumas regiões de Goiás devem ser mais afetadas pelo tempo quente, como a região Oeste, cuja previsão de é temperatura máxima de 36ºc, com umidade relativa do ar a 16%.

Veja 6 dicas de como amenizar os efeitos do tempo seco e o calor em Goiás

À reportagem, a diretora técnica do Hospital de Doenças Tropicais (HDT), Karine Borges de Medeiros, explicou que o tempo seco pode aumentar os riscos à saúde, causando desconfortos físicos e surgimento de doenças.

De acordo com ela, é normal a ocorrência de queda na imunidade, quadros de desidratação; taquicardia (coração acelerado); tontura; ressecamento de mucosas, tais como olho, nariz, boca e pele.

A médica afirma, ainda, que a baixa umidade aumenta o risco de doenças respiratórias. Karine explica que a mucosa nasal pode apresentar pequenas fissuras e rachaduras em razão do ressecamento, facilitando a entrada de patógenos e germes por vias aéreas. “Por isso é tão comum o aparecimento de resfriados e doenças alérgicas como a rinite, por exemplo”, disse.

1- Mantenha a hidratação oral, com aumento de consumo de água;

2- Realize hidratação de mucosas com aplicação de colírios específicos para os olhos; uso de soro nasal e para os olhos, além de hidratante específico para a boca e pele;

3- Umidificação do ambiente com uso de umidificadores ou inserção de toalha molhada na beira da cabeceira da cama. Outra dica é colocar bacia de água no local para ajudar na evaporação e consequente melhoria na umidade do espaço;

90baeda8 whatsapp image 2021 08 19 at 12.07.08 - Mais Goiás

4- Mantenha a atividade física regular, mas opte pela realização em horários com temperaturas mais amenas, antes das 10h e depois das 16h;

5- Mantenha-se hidratado (a) durante a atividade física. É comum a ocorrência de suor, com a perda de líquido do corpo. O ideal, então, é aumentar a ingestão durante os exercícios;

6- Evite exposição solar nos períodos de temperatura elevada.

 

Fonte: Mais Goiás

print