Uma em cada cinco cidades sofre com escassez de vacinas, aponta CNM

Uma nova edição do boletim da Confederação Nacional de Municípios (CNM) aponta que uma em cada cinco cidades brasileiras registrou escassez de vacinas contra a Covid-19 na última semana. O levantamento foi realizado entre os dias 16 e 19 de agosto, e contou com a participação de 1,5 mil prefeitos.

A confederação aponta que 80,9% dos municípios ouvidos receberam doses suficientes para a imunização no período, mas 19,1% tiveram que interromper a campanha por falta do imunizante.

Esse é o caso do Rio de Janeiro. O município suspendeu no domingo (22) a vacinação por idade de adolescentes, por falta de doses. Nesta segunda-feira (23) serão imunizadas apenas pessoas com deficiência, gestantes, puérperas e lactantes.

Os dados da CNM apontam que a escassez afeta principalmente a primeira dose, o que ocorreu em 81% dos casos. Mas, em 19% das ocorrências, atingiu a segunda aplicação. Os dados apontam, no entanto, que problema já foi maior: no fim de abril, a porcentagem chegou a 41,6%.

Avanço da vacinação

O avanço da campanha de imunização já faz com que a maior parte das cidades brasileiras imunize a população mais jovem neste momento.

Segundo a CNM, 57% dos municípios já vacinam pessoas com idades entre 18 e 24 anos. Em 24,5% dos casos, a campanha é destinada à faixa etária dos 25 aos 29 anos, e 10% se concentram em proteger pessoas de 30 a 34 anos.

Apenas 3% das prefeituras já aplicam o imunizante contra o novo coronavírus em adolescentes de 12 a 17 anos.

 

Fonte: CNN

print